Cerco do imperialismo
Regime está se fechando de maneira a impedir que o principal líder popular do país possa sequer voltar ao Equador
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Former Ecuadorian president Rafael Correa testifies in connection with a case of alleged corruption, at the public prosecutor's office in Guayaquil, Ecuador on February 5, 2018.
Correa testified just a few hours after Ecuadorians voted in a referendum to limit presidents to two terms, dealing a major blow to his hopes of returning to power. / AFP PHOTO / STR
Rafael Correa | Foto: AFP

Nesta quarta-feira (2), o ex-presidente do Equador, Rafael Correa, denunciou a tentativa do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) para impedir a sua participação nas próximas eleições presidenciais. Correa foi condenado à prisão no Equador e só está em liberdade porque está em outro país, na Bélgica. A sua ideia de se lançar como candidato a vice-presidente, e não a presidente, é uma clara capitulação, uma tentativa de acordo com o regime. No entanto, o regime político não quer acordo, e até mesmo a candidatura a vice corre risco.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas