Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Segundo as primeiras estimativas divulgadas pela imprensa estatal do Egito, o presidente Abdel Fattah Al-Sisi foi reeleito no país com mais de 90% dos votos. Contudo, o índice de abstenção atingiu mais da metade do eleitorado, quando, dos mais de 60 milhões de eleitores, apenas 23 milhões foram às urnas.

Mesmo com duração de 3 dias e mais de 12 horas diárias de votação, o governo egípcio não conseguiu mobilizar a população para o sufrágio. Na quarta, o governo ainda estendeu em uma hora o período de votação… em vão.   

O índice de abstenção superou o pleito de 2014, que também teve Sisi como vitorioso, quando mais de 53% da população não compareceu aos locais de votação.

A “vitória esmagadora” de Sisi tem um motivo muito claro: o boicote da oposição, que considerou essa eleição uma farsa.

O Egito sofreu um golpe de Estado em 2013, quando o então presidente Mohamed Mursi da Irmandade Muçulmana foi afastado unilateralmente do cargo por Al-Sisi, então ministro da defesa. Na época a manobra foi vista como uma “revolução” por alguns partidos políticos brasileiros, como, por exemplo, o morenista PSTU.   

O resultado oficial será anunciado na próxima segunda-feira (2).

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas