Negros, um dos setores mais afetados com a perda de renda pela crise

negros repressao

O golpe de Estado, que começou com o impeachment fraudulento de Dilma e que desembocou no governo Bolsonaro está provocando uma profunda devastação nas condições de vida do povo brasileiro. Como a corda sempre arrebenta do lado mais fraco, setores oprimidos da população, como mulheres, negros e LGBTs evidentemente têm sentido na pele com uma intensidade muito maior os efeitos da crise.

De acordo com matéria publicada no sítio do Globo, os dados são muito alarmantes. As perdas econômicas de negros, analfabetos, mulheres e moradores das regiões norte e nordeste são bem maiores do que o rebaixamento de renda médio dos brasileiros. A matéria apresenta como dado que a renda das mulheres aumentou; no entanto, a mesma explica que isso se deu por que muitas mulheres foram obrigadas a entrar no mercado de trabalho, como donas de casa, por exemplo, para impedir a desbarrancada total da renda familiar. Quer dizer, as mulheres estão sendo ainda mais exploradas.

No caso dos negros, entretanto, as perspectivas são ainda mais negativas. Historicamente marginalizados no país, que remonta aos tempos das escravidão, os negros em seguida foram expulsos das senzalas direto para os cortiços, antepassados das atuais favelas. Ao invés de resolver o problema das mulheres e negros, que na realidade é um problema democrático, burguês, o capitalismo explora as diferenças entre os setores explorados para esfola-los ainda mais.

A matéria mostra ainda que, enquanto que a diminuição da renda média dos brasileiros caiu de 2,4 % no período que vai de 2014 à 2018, entre os negros este número sobe para 7,4 %, mais do que o triplo da média. Entre os analfabetos, os números são ainda mais alarmantes, chegando a quase 25 % de perda orçamentária! Levando-se em consideração que boa parte dos analfabetos no Brasil são negros, chegamos à conclusão que a situação do negro no país, que sempre foi desumana, está atingindo proporções dantescas.

Se lembrarmos ainda do extermínio sistemático dos pobres e negros brasileiros, que são mortos como moscas nas favelas e periferias, veremos que o objetivo do golpe é exatamente este: fazer a condição dos negros regredir aos tempos da escravidão. O movimento negro deve se mobilizar em primeiro lugar pela derrubada do governo fraudulento de Bolsonaro, que representa uma ameaça gigantesca para todo o país,  e pela sua própria autodefesa, assim como fizeram os Panteras Negras.