Não vai prender! Frente Brasil Popular chama atos contra a prisão de Lula

Depois do ato realizado nessa segunda-feira (2), com a presença do ex-presidente Lula, no Circo Voador, no centro do Rio de Janeiro, a Frente Brasil Popular e movimentos sociais organizam um conjunto  concentrações em todo País, nesta terça (dia 3) e quarta-feira (dia 4), contra a prisão de Lula.

As manifestações ocorrem em meio a uma intensa campanha da imprensa golpista e outos setores de direita para que o Supremo Tribunal Federal (STF) passe por cima da Constituição Federal, negue o habeas corpus ao ex-presidente e, desta forma, permita que o juiz fascista Sérgio Moro ordene sua prisão com base nos processo fraudulento por ele comandado, em que Lula foi condenado sem nenhuma prova, no caso do tríplex, que a propria justiça federal do DF reconheceu ser de propriedade da empreiteira OAS.

A prisão de Lula, maior liderança popular do País e que lidera todas as pesquisas de intenção de voto para a presidência da República, visa não somente afastá-lo dessa disputa – e transformar as eleições, se estas ocorrerem, em uma fraude total – como impor uma derrota aos explorados e suas organizações de luta, para permitir uma ofensiva ainda mais brutal contra os trabalhadores  e a juventude e toda a economia nacional, em favor dos interesses dos grandes capitalistas estrangeiros e “nacionais”.

A única arma dos trabalhadores para barrar esta ofensiva, impedir a prisão de Lula e derrotar o golpe é a mobilização nas ruas. Já está mais do que provado que os golpistas não vão se deter por ações judiciais ou por meio de articulações por cima com setores da direita, no Congresso Nacional etc.

Neste sentido,  as principais direções da luta contra o golpe mostraram uma enorme vacilação em realizar atos massivos centrais contra a prisão de Lula (depois que a caravana de Lula foi atacada por bandos fascistas no Sul do País) chegando, por exemplo, a cancelar o ato previsto para o dia de hoje, na Avenida Paulista, em São Paulo.

São Paulo

Em São Paulo, na terça-feira (3), estão marcadas panfletagens e marchas em diversos bairros periféricos até os centros comerciais em todas as regiões da Capital (norte, sul, leste, oeste e centro), conforme abaixo.

Itaquera – Centro de Itaquera, às 7h.

Artur Alvim – Em frente à estação do Metrô, às 18h.

Guaianases – CPTM Guaianases, às 18h.

Itaim/São Miguel – Estação CPTM Itaim, às 5h.

Cidade Tiradentes – Terminal ônibus próximo ao Extra, às 17h.

São Mateus – Avenida Mateo Bei, em frente à loja Marisa, às 11h.

Penha – Metrô Patriarca, às 6h30.

Vila Prudente – Às 7h, no Terminal Vila Prudente

Tatuapé – 18h no Metrô Tatuapé (esquina do estacionamento na Rua Tuiutu).

Zona Sul: Largo do Socorro, a partir das 16h.

Freguesia/Brasilândia/Casa Verde/Pirituba: Às 7h no Terminal Vila Nova Cachoeirinha e às 17h30

Jabaquara/Comitê Paulista – 17h no Metrô Jabaquara

Centro – 17h na Praça da Republica

Butantã – 17h em frente ao Metrô

Mooca – CPTM às 6h.

Vila Prudente – Terminal de ônibus, às 7h.

Saúde/Ipiranga – Terminal Sacomã, às 17h

No dia 4, na Capital paulista, estão previstas atividades na zona Leste, com carro de som às 14h na região  no Metrô Itaquera e na zona Norte, uma panfletagem às 7h no Terminal Vila Nova Cachoeirinha.

Brasília

A principal concentração ocorre no dia 4 na sede do STF, em Brasília e terá início às 12h, para onde estão se deslocando caravanas de diversas regiões do País.

Em todas estas atividades, é preciso ter como palavra-se-ordem “não vai prender” e preparar desde já uma reação geral, nas ruas, dos explorados e suas organizações, contra a cada vez mais possível prisão de Lula.
Em todo País, é preciso fortalecer essa mobilização convocando a população trabalhadora a sair das fábricas, bairros operários, escolas, universidades contra a prisão de Lula.