Não será pelas eleições que o povo voltará a “ser feliz de novo”

masp_rua
O anúncio do PT de que Lula não será mais o candidato do partido ao cargo de presidente da República foi recebido por muitos dentro e fora do PT como uma festa. A substituição de Lula por Haddad foi comemorada por petistas favoráveis ao “Plano B” e por golpistas de todos os matizes, da imprensa capacho do imperialismo, Rede Globo, Estadão, pelo judiciário e militares.
Para quem enxerga de fora desse clima festivo parece que o anúncio do “Plano B” do PT acabou com todos os problemas anteriores. A euforia com que Haddad foi recebido como, finalmente, o candidato a presidente pelo PT elevou o grau de ilusão com as eleições que a esquerda pequeno burguesa já tem normalmente.
A questão é que não é porque estamos em período eleitoral que o golpe não existe mais, que as arbitrariedades do judiciário cessaram, que as manipulações da imprensa golpista acabaram e, principalmente, a ameaça constante e violenta por parte das Forças Armadas se transformaram em paz e amor.
A eleição nao é a solução. O mundo não começou agora. A eleição não vai fazer o “Brasil Feliz de Novo” como os petistas entorpecidos pela “magia das eleições”. É Preciso lembrar que há quatro anos a presidenta deposta Dilma Rousseff foi eleita com a maioria dos votos, 54,5 milhões de votos. E estes votos do povo trabalhador brasileiro não foram respeitados.
Os militares não aceitam a eleição, o TSE não respeita a eleição, a Rede Globo não respeita a eleição, etc.
Aceitar o “Plano B” imposto pelos golpistas, deixar Lula de lado, e entrar no jogo das eleições é entorpecer a luta contra o golpe, é minar a resistência. Os trabalhadores precisam estar conscientes do que está de fato acontecendo, quanto mais consciente, mobilizado e preparado para lutar o povo pode reagir e derrotar a direita. Não vai ser por meio das eleições.