Não filme nossos crimes: Israel não quer gravações de seus soldados

oloko

A direita israelita se supera cada vez mais. Diante dos diversos crimes e atrocidades que vêm sendo cometidos pelo estado sionista da Israel e suas forças de repressão, que agem como verdadeiros nazistas contra o povo palestino, a direita decidiu levantar a bandeira da censura.

A proposta é de 5 anos de cadeia para aquele que filmar um soldado israelita. Ou seja, 5 anos de cadeia se pegarem no flagra um soldado cometendo algum absurdo contra a população – isso se a pessoa sair viva da encontro com estes soldados, que já foram filmados chutando crianças, espancando aleijados, roubando cidadãos, apenas para citar algumas das atrocidades que foram divulgadas, ou seja, sem falar de diversos estupros, utilização de crianças palestinas como escudo humano, assassinatos, torturas etc. que ficaram omitidos.

É o cúmulo do absurdo. A direita está fortalecendo a política de brutalidades em todo o mundo, e Israel, junto aos Estados Unidos, são a vanguarda nesse sentido. Principais assassinos, torturadores, estupradores, censuradores, destruidores e sangue-sugas do mundo. Mas que não querem que suas brutalidades sejam divulgadas, com pena de ter o mesmo destino que Snowden e Assange, que revelaram o crime dos americanos no Iraque.