Não é piada: Bolsonaro quer judiciário coíba ameaças

bolsonaro

O ministro Carlos Horbach, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta sexta-feira (21) que o Twitter forneça os dados de usuários que comemoraram na rede social o ataque ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). Em 6 de setembro, Bolsonaro levou uma facada durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG) e ainda está internado se recuperando. Segundo Carlos Horbach, os dados dos usuários são “imprescindíveis” ao processo de investigação e “necessários ante a eventual responsabilização dos usuários em eventual decisão de mérito”.

O TSE já havia determinado o fornecimento dos dados em 48 horas, mas não mandou o Twitter retirar o conteúdo das postagens do ar. A empresa recorreu, afirmando que houve contradição na decisão. O Ministério Público Eleitoral também recorreu, defendendo que a medida é importante para eventuais indenizações e também para investigar o uso de impulsionamento de conteúdo por robôs e usuários anônimos. No pedido ao TSE, a coligação de Bolsonaro alega que as mensagens “incentivam e comemoram agressões e ataques à integridade física e moral do candidato”, pedindo a retirada do conteúdo do ar. Ao negar liminar, no dia 15 de setembro, o ministro determinou que as partes fossem ouvidas antes de decidir sobre o pedido de mérito, afirmando que a questão envolve liberdade de expressão.

Para quem vem acompanhando as declarações de Bolsonaro é nitida a hipocrisia do mesmo em recorrer a justiça para perseguir quem comemorou a facada do fascista, o partido de aluguel de Bolsonaro alega que as mensagens “incentivam e comemoram agressões e ataques à integridade física e moral do candidato”, mas o valentão de plantão não poupou comemorações aos ataques a bala na caravana do Lula pelo Sul do Brasil, ou ainda, quando o mesmo ameaçou os moradores da rocinha de serem todos metralhados.

Segundo o próprio ministro a questão envolve liberdade de expressão, diferente do que a esquerda pequeno burguesa defende, que os oprimidos recorram a justiça burguesa para definir o que as pessoas podem ou não falar, como o ocorrido aponta está política tem como único objetivo perseguir e punir a população. Pois neste terreno quem manda é direita, e agora estão protegendo os fascistas. Apenas o povo na rua pode por fim aos desmandos dos golpistas.