Siga o DCO nas redes sociais

Não caia na conversa da imprensa golpista: o povo é contra a intervenção militar no Rio!
Não caia na conversa da imprensa golpista: o povo é contra a intervenção militar no Rio!
Não caia na conversa da imprensa golpista: o povo é contra a intervenção militar! 4
O morro da Mangueira, ao cair da noite: abaixo a intervenção militar!

Você já deve ter ouvido alguém falar, seja pessoalmente ou nas redes sociais, que “o povo do Rio de Janeiro não aguenta mais tanta violência”. E que por causa dessa suposta guerra civil a população estaria apoiando a intervenção militar. Esse tipo de conversa é consequência direta da gigantesca campanha feita pela imprensa golpista, tendo a rede Globo como a líder desse movimento. Essa campanha atinge principalmente os setores médios da população, o que inclui aí a esquerda pequeno-burguesa, conhecida pela sua profunda confusão.

Que a imprensa golpista trabalhe nessa campanha não é nenhuma novidade, visto que é exatamente esse o papel dela na luta de classes. Como o Partido da Causa Operária simplesmente despreza a imprensa direitista, assumimos como missão a tarefa de fazer agitação política nas favelas cariocas, panfletando e colando cartazes contra a intervenção militar nas comunidades e em bairros populares. Nessas atividades, pudemos ver em primeira mão que a realidade é muito distinta. Nas conversas com a população descobrimos algo que é evidente: o povo nas favelas não quer a intervenção militar, já que eles já sabem muito bem o que é ter a presença das Forças Armadas e outras forças repressivas, como a PM, na porta de suas casas.

Não caia na conversa da imprensa golpista: o povo é contra a intervenção militar! 5
Na entrada da Rocinha, grande mural contra a intervenção militar

Já realizamos atividades no complexo da Maré, na Rocinha, na Cidade de Deus e na Mangueira. Em todos esses lugares a resposta foi muito parecida. A esmagadora maioria da população não concorda com a intervenção militar.

O caso da Maré é muito bom, por que tomamos o cuidado de fazer uma contagem das respostas negativas de modo a poder apresentar uma estatística. Distribuímos mais de 4.000 panfletos contra a intervenção militar, e podemos dizer que no máximo apareceram umas 20 pessoas defendendo a intervenção. Isso significa que nesse caso teríamos 0,5% de pessoas defendendo a intervenção na Maré.

Por isso podemos dizer em alto e bom som: o povo não quer a intervenção militar.

Não caia na conversa da imprensa golpista: o povo é contra a intervenção militar! 6
Na favela da Maré, em atividade conjunta com militantes do PT

As atividades têm sido um enorme sucesso e tem circulado nas redes sociais para moradores de outras favelas e comunidades. Vamos ampliar ainda mais essa campanha! Convidamos todos os companheiros moradores do Rio de Janeiro preocupados com essa situação a se unir às nossas atividades. Venha com a gente lutar contra a intervenção militar no Rio de Janeiro! Lugar de militar é no quartel!