Siga o DCO nas redes sociais

Pelo fim dos vestibulares!
Não basta o adiamento do ENEM, é preciso o fim do vestibular
Organizações estudantis pedem pelo adiamento do ENEM, no entanto devemos avançar e exigir que a universidade seja aberta para toda população.
20190515_143252-1-1559164607
Pelo fim dos vestibulares!
Não basta o adiamento do ENEM, é preciso o fim do vestibular
Organizações estudantis pedem pelo adiamento do ENEM, no entanto devemos avançar e exigir que a universidade seja aberta para toda população.
Fim do vestibular é a única forma de garantir “educação para todos”
20190515_143252-1-1559164607
Fim do vestibular é a única forma de garantir “educação para todos”

No dia 11 de maio começará por todo país as inscrições para o ENEM 2020. O exame nacional do ensino médio, que serve como uma das principais formas dos estudantes ingressarem nas universidades será realizado em um momento extramente turbulento.

O início das inscrições ocorrerá justamente no ápice da pandemia de coronavírus no Brasil. Em um ano onde todos os estudantes de ensino médio estarão perdendo pelo menos um semestre, a corrida para entrar nas universidades será ainda mais afetada, tendo a população pobre como a mais prejudicada.

Organizações como a UNE, entre outras, passaram a levantar políticas para a situação de pandemia. Entre elas a de redução dos custos das mensalidades, como também do adiamento da prova nacional.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) também saiu em defesa do adiamento em pelo menos 15 dias do ENEM, uma medida paliativa que não faz sentido algum, pois em meio a esta crise, uma ou duas semanas de nada servirão para melhorar a situação para os estudantes.

Leia Também  Suspensão de 2 parcelas do FIES não alivia situação de estudantes

Com a manutenção do dia das provas, o governo federal passou novamente a ser atacado por sua política negligente. No entanto, o que deve ser o ponto central desta discussão do ENEM não é apenas o adiamento da prova. Tal medida é inócua e não evolui em nenhum direito à população. As organizações estudantis devem partir para ofensiva e, aproveitando a crise, exigir a livre entrada nas universidades.

O fim dos vestibulares e a garantia da continuidade do ensino médio ao superior, como acontece nos níveis fundamentais, é um direito básico e essencial que necessita ser defendido.

A AJR (Aliança da Juventude Revolucionária), o coletivo da juventude do PCO, defende que todos os estudantes tenham direito a acessar livremente as universidades. Esta é a única forma de garantir um básico direito democrático, aquele que impõe “educação para todos”.

O que existe no Brasil é educação para uma minoria, sobretudo no ensino superior. O processo de filtragem dos candidatos contraria todos os direitos democráticos do povo e deve ser abolido.

Por isso, exigir apenas o adiamento do ENEM não é e nunca será o suficiente. Precisamos por um fim aos vestibulares, e permitir que de fato o povo tenha acesso ao ensino superior.

 



Share via
Copy link