Não ao banco de horas no frigorífico Cardeal

frigorifico_cardeal

O frigorífico Cardeal, localizado em no município de São Caetano do Sul, região do grande ABC, de São Paulo quer impor aos trabalhadores, neste feriado, o famigerado banco de horas.

Os patrões do frigorífico, para lucrar ainda mais, nas costas dos trabalhadores e deixa-los de o direito ao descanso, está exigindo a troca do feriado, ou seja, que seus funcionários trabalhem em todos os feriados, dia 15 e 20 de novembro, segundo os patrões, para dar conta da produção, e em um dia útil qualquer poderá ser recompensado, tirando folga, quando der.

O Cardeal quer, na realidade é que os trabalhadores fiquem dia e noite trabalhando e, se possível sem descanso, para os sanguessugas dos patrões, os operários não podem sequer gozar o seu dia de descanso, incluindo aí, domingos e feriados, o que os donos do cardeal querem fazer os trabalhadores de escravos, aos moldes do período colonial, dos senhores de engenho.

A convenção coletiva dos trabalhadores em frigoríficos não permite o banco de horas, portanto é totalmente ilegal.

Os trabalhadores do Cardeal sofrem pelas inúmeras irregularidades, tanto nas condições de trabalho, manutenção, equipamentos de proteção, etc., bem como, não observar o período de descanso dos operários das câmaras frias (intervalo térmico), de acordo com a consolidação das Leis do trabalho (CLT).
Não há limite para os patrões explorarem seus funcionários.

O Sindicato dos trabalhadores nas Indústrias de Carne, Derivados e do Frio, no estado de São Paulo estará na porta da fábrica para observar a atitude dos patrões quanto à observância da legislação que eles mesmos assinaram.

O Sindicato dos Frios é por principio contra o famigerado banco de horas.
Os representantes do sindicato estão chamando uma reunião com os trabalhadores e tomarão providências quanto aos desmandos dos patrões.