Não à perseguição! Liberdade para os petistas presos por se defender da direita!

images (3)

Há pouco mais de um ano, o senador Humberto Costa deu sua vergonhosa declaração de que “precisamos virar a página do golpe”. Para o pernambucano, a esquerda deveria simplesmente esquecer que a burguesia depôs uma presidenta democraticamente eleita e deveria “voltar” a se comportar como se nada tivesse acontecido.

“Virar a página do golpe” seria, assim, se contentar em fazer discursos na tribuna, fazer coligações com partidos burgueses e enterrar qualquer tendência à revolta popular. No entanto, “virar a página” nao é tão simples, pois a burguesia não está disposta a virar página alguma.

Centenas de acontecimentos após o golpe mostraram que a página não pode ser virada. As milhares de mortes no campo, o desmantelamento da indústria nacional, as chacinas nas periferias, entre tantas outras coisas, não serão desfeitas apenas pela boa vontade por parte de um setor capitulador da esquerda em fazer um acordo.

A direita não deu um golpe apenas para conseguir um “acordo” futuro. O golpe foi apenas o início de uma ofensiva profunda para paralisar as organizações dos trabalhadores e impor um programa de devastação no país mais importante da América do Sul. Por isso, a única política coerente para combater o golpe só pode ser a da mobilização e do enfrentamento contra os golpistas.

Em abril deste ano, um empresário tentou provocar militantes de esquerda em frente ao Instituto Lula. Inconformados com a provocação, um ex-vereador do PT e seu filho expulsaram o coxinha do local. O coxinha acabou caindo e batendo a cabeça. Ontem, o ex-vereador é seu filho, que bravamente deram o exemplo para todos os que lutam contra o golpe, foram presos, acusados de tentativa de homicídio.

Obviamente, a prisão dos petistas é mais um caso de perseguição política no país governado pelos golpistas. Afinal, Mariele Franco foi assassinada há mais tempo, sendo que até hoje seus algozes não foram punidos. Igualmente, fascistas atiraram contra a caravana do ex-presidente Lula, mas ninguém foi sequer processado.

A esquerda não pode se intimidar com mais essa arbitrariedade. É necessário criar comitês de autodefesa, reagir às investidas dos fascistas e exigir a liberdade dos petistas.