Na França, governo e extrema-direita pedem fim das manifestações: continuar até derrubar Macron!

macron

Da redação – O porta-voz do governo francês, Benjamin Griveaux, foi à público na CNews pedir que os coletes amarelos não se manifestem no próximo sábado. Não seria “razoável”, segundo ele, diante do atentado ocorrido em Estrasburgo, que acabou matando 3 pessoas na terça-feira (11).

Ele disse que “nesse momento, o governo ainda não decidiu proibir as manifestações”, deixando bem claro que o governo tem intenção de proibi-las. Isso se dá porque o presidente Macron foi colocado contra a parede com os gigantescos atos e paralisações que ocorreram nas ruas de todo o país.

O presidente da Assembléia Nacional, Richard Ferrand, e a ministra da justiça, Nicole Belloubet, também defenderam que o movimento deveria parar. E assim vários funcionários do governo também. A extrema-direita, de Marine Le Pen, que estava fazendo demagogia com as manifestações também defenderam esta idéia.

O atentado em Estrasburgo está sendo usado com pretexto para aumentar a repressão policial contra o povo e reprimir as manifestações nas ruas. Isso deixa apenas ainda mais duvidoso o caráter desse atentado que apareceu em meio a uma das maiores crises da história francesa, e que está sendo usado para acabar com as manifestações de rua.

Os coletes amarelos precisam se manter nas ruas até acabar com o governo Macron e derrotar a política neoliberal que está colocando o povo francês na miséria.