Siga o DCO nas redes sociais

Repúdio à ministra fascista
Mulheres repudiam Damares em Conferência no Chile
Durante a XIV Conferência Regional sobre Mulheres da América Latina e do Caribe, participantes ficaram de costas para a ministra de Bolsonaro enquanto esta falava
damares
Repúdio à ministra fascista
Mulheres repudiam Damares em Conferência no Chile
Durante a XIV Conferência Regional sobre Mulheres da América Latina e do Caribe, participantes ficaram de costas para a ministra de Bolsonaro enquanto esta falava
Protesto das conferencistas no chile contra Damares. Foto : internet
damares
Protesto das conferencistas no chile contra Damares. Foto : internet

Durante a XIV Conferência Regional sobre Mulheres da América Latina e do Caribe, realizada em Santiago, participantes do evento ficaram de costas para a ministra de Bolsonaro enquanto ela falava.
Damares Alves, ministra da mulher e dos direitos humanos, foi alvo de protesto assim que foi anunciada sua fala. Enquanto discursava sobre o combate à violência contra a mulher no Brasil, um grupo se levantou e ficou de costas para a ministra, que continuou seu discurso.
O evento acontece na sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), em Santiago desde 1977, e é o principal fórum inter-governamental sobre os direitos das mulheres e a igualdade de gênero na região.A finalidade entre outras questões é apresentar recomendações para políticas públicas de igualdade de gênero e realizar avaliações periódicas das atividades voltadas ao cumprimento dos acordos regionais e internacionais.
A ministra usou as redes sociais para responder ao protesto : “protestaram porque somos contra o aborto. Podem protestar no mundo inteiro, mas o governo Bolsonaro é pró-vida “.
Desde que assumiu a pasta, Damares que já foi pastora evangélica, tem causado polêmica com suas declarações e atitudes mirabolantes e reacionárias, como citar a visão de “Jesus na goiabeira”, frases como “menino veste azul e menina veste rosa”, mutismo em entrevista coletiva, criação de bolsa estupro para desestimular o aborto etc.
As declarações da ministra caricata causam polêmica e chacota entre muitos, porém não são inofensivas como parecem e demonstram o pensamento retrógrado e de ataque às mulheres do governo Bolsonaro. Declarações que seriam motivos para riso se não fossem acompanhadas de ações governamentais que ampliam a opressão feminina na sociedade capitalista, como se vê na reforma previdenciária que aumentou o tempo de contribuição feminina para aposentadoria, ignorando a situação de milhares de mulheres que estendem sua jornada de trabalho ao assumir os cuidados do lar.

Após diminuir a importância da questão feminina ao unificar a secretaria das mulheres à de direitos humanos, foi extinta por Damares programas como Casa da mulher Brasileira , que destinava-se ao apoio à mulheres em situação de violência e integração de políticas públicas. Em se tratando de políticas voltadas para as mulheres o governo ao qual a ministra faz parte é um estrondoso fracasso.
A julgar pelas declarações de Damares e dos demais integrantes do governo fascista, o protestos como o do Chile, principalmente em um evento voltado para a questão feminina é mais do que justo e esperado o repúdio à fala da ministra. É de se esperar que em uma conferência lotada de ativistas do direitos femininos, uma palestrante que afirma que a mulher deve ser ‘submissa’ ao homem no casamento, não seja alvo de protesto .A atitude dos participantes denota a imensa impopularidade tanto da ministra da goiabeira quanto do governo de extrema direita instalado no Brasil.