Mulheres foram as mais afetadas pela guerra promovida pelo imperialismo na Colômbia

8212358292_04a9a95b89_k

Dados recentes da Comissão da Verdade mostram que as mulheres  e a população negra tem sido os setores mais afetadas com o longo conflito entre o governo e as FARCs na Colômbia. E em especial a mulher negra. Embora corresponda a 10 % da população do país, os afro-colombianos correspondem a 40% das vítimas do conflito, segundo a pesquisadora Danny Ramirez Torres, integrante do grupo de trabalho da comissão da verdade.

A pesquisadora alerta, em entrevista ao golpista O Globo, para o que chama de feminização da pobreza, uma concentração de pobreza extrema na população negra e em especial na mulheres negra das áreas periféricas e rurais. Também as mulheres negras foram as principais vítimas das violências resultantes do conflito, como estupros, escravidão, assassinatos etc.

As negociações de paz não incorporaram completamente o fator racial e de gênero.  O mais importante de notar, contudo, é que a causa do conflito e da pobreza da Colômbia em geral está na política da direita colombiana e do imperialismo, em especial norte-americano que impuseram ditaduras sucessivas ao país latino-americano. Em especial a política neoliberal que desde os anos 1980 graça no país, tendo o ponto alto no governo Álvaro Uribe (2002-10).

Esse é o real motivo da pobreza e exploração e da reação do povo. Enquanto a direita e o imperialismo dominar o panorama político do país a população perecerá, ainda mais a população negra, minoria oprimida dentro do país.