Imprensa golpista
O comentário de Daniel Campelo expressa bem o que pensa não só a direita, mas a política do governo golpista de Bolsonaro, que quer empurrar as mulheres para o serviço doméstico
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
jovem_pan-10219366
Daniel Campelo, representante da direita da Jovem Pan. Foto: Reprodução/ Jovem Pan News Fortaleza |

O governo do ilegítimo e golpista Jair Bolsonaro tem aberto as portas para a direita difundir seus pensamentos esdrúxulos sobre a classe trabalhadora e grupos oprimidos como mulheres, negros, LGBTs, etc. Assim fez o comentarista de futebol, Daniel Campelo, na Jovem Pan em Fortaleza, ao afirmar que “mulher deve tomar conta da casa, do marido e dos filhos”, expressando não só o que pensa a direita golpista, mas o que efetivamente a direita quer fazer com as mulheres: empurrá-las para o serviço doméstico, para serem donas de casa.

O comentário atacando as mulheres foi falado ao vivo durante uma partida de futebol entre Ceará e Avaí, no último domingo (13). Para Campelo, lugar de mulher é em casa cuidando dos filhos e não participando de partidas de futebol. Na segunda-feira (14), o comentarista direitista foi questionado sobre os comentários reacionários sobre as mulheres no futebol, mas sua resposta foi tão repulsivo quanto a primeira: “Eu não disse brincando não. E repito aqui. Quem não gostar, tire a calcinha e pise em cima”.

Jovem Pan já é mais do que conhecida como uma das porta-vozes do pensamento arrogante e conservador da direita que tomou conta do poder, desde o golpe de 2016 eles nunca pouparam palavras para caluniar a esquerda e dar apoio às políticas neoliberais que vem sendo aplicadas e intensificadas no Brasil. Dessa forma, fica óbvio que Daniel Campelo se sentiu mais do que a vontade para fazer um comentário daquele, já que a rádio, sendo parte intrínseca da imprensa golpista, não iria impedi-lo ou adverti-lo. Isso porque o pensamento dele é o pensamento da imprensa golpista, da direita e, especialmente, do governo Bolsonaro e de figuras como Damares Alves, a ministra conservadora que também acha que o papel da mulher é ficar dentro de casa.

A ideia principal é reprimir não só as mulheres, mas a classe trabalhadora em geral, já que esse tipo de posicionamento é apenas uma porta para o enxame de posicionamentos direitistas contra a os trabalhadores, e que objetiva a exploração e opressão às ultimas consequências. Contudo, o combate a esse tipo de discurso não pode ser via censura, pois, no fim das contas, essa política sempre acaba se voltando contra a esquerda. Campelo tem o direito de falar o que quiser e ninguém pode censurá-lo, principalmente o Estado, que já foi corroído há tempos pelos golpistas, sendo assim, nada aconteceria com a Jovem Pan, por exemplo.

A política central de combate a esses grupos reacionários, que pregam sem medo a opressão da mulher, deve vir da organização das mulheres, de forma independente, objetivando a derrubada dos golpistas que estão no poder, já que foi o golpe que abriu espaço para aberrações desse tipo. É só a partir da organização dos grupos oprimidos, seja em coletivos ou em grupos de autodefesa, que a emancipação dos grilhões da opressão vai se dar de forma efetiva.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas