Mulher é espancada pela PM em Salvador, política de Bolsonaro já começa a ser colocada em prática

cnv

O cenário anterior ao término das eleições fraudulentas pelo segundo turno já se acirrava com a ascensão dos fascistas nas ruas. No domingo, dia em que a farsa fora anunciada, os apoiadores do representante dos golpistas, Jair Bolsonaro, não deixaram de se articular pelo país promovendo ataques à esquerda e aos militantes que estavam nas ruas protestando.

Em caso específico que aconteceu em Salvador (BA), deixa claro qual a política que será implantada pelo presidente do golpe. Na cidade de Rio Vermelho, acontecia uma pequena concentração de militantes que se manifestavam contra a eleição de Bolsonaro. Prontamente a PM do estado se fez presente para cumprir seu papel repressor, e como esperado a repressão brutal aconteceu, sendo covardemente contra uma mulher que ali como os demais protestavam contra o fantoche da extrema-direita e denunciavam a fraude das eleições sem Lula.

Espancada cruelmente pela PM, a ação contra a jovem demonstrou que a política de Bolsonaro já está sendo colocada em prática, e é contra as mulheres. A PM, como um dos principais órgãos de aparato repressor do estado, já se sente a vontade para realizar atos pérfidos como esse de maneira indiscriminada.

As mulheres têm sido um dos principais alvos dos fascistas. No último momento foram as mais atacadas covardemente. Espancamentos por parte da extrema-direita fascista que se apoia na política de Bolsonaro, e que ao atacar essa parcela da população deixa bem claro o caráter monstruoso da direita.

Os fascistas já estão tomando de conta das ruas, e a polícia e os demais órgãos repressores possuem a chancela de um presidente ilegítimo que, tem como prioridade o massacre da população e propriamente dito como já está acontecendo, o esmagamento dos setores minoritários, aqui em específico as mulheres.

No momento que está colocado, a organização diante de uma grande mobilização nas ruas para combater o fascismo e denunciar a fraude nas eleições é o único meio viável de derrota a ascensão da extrema-direita e ao golpismo. Para isso, os comitês de luta são a ferramenta necessária e crucial para promover a organização e autodefesa.