metro

Da redação – O Metrô de São Paulo foi palco mais uma vez de um fenômeno que tem se espalhado pelo Brasil desde a ascensão do bolsonarismo. Seguranças agrediram com socos e cotoveladas uma mulher que reclamava da detenção de homem que estava com ela.O fato aconteceu na noite de segunda-feira (8), na estação Bresser-Mooca, na Zona Leste da cidade.

A companhia que opera o Metrô alegou que os seguranças estariam fazendo a condução de um usuário que tentava burlar a catraca. Foi informado também que o incidente seria averiguado.

Esse tipo de agressão por elementos fardados tanto das seguranças privadas, quanto dos guardas municipais, polícia militar e até exército, mostra que a vitória eleitoral de Bolsonaro sinalizou para todo o aparato repressor que as agressões estão liberadas.

É preciso garantir a capacidade de autodefesa do trabalhador, organizando-se coletivamente, para que o povo não seja espancado e humilhado nas ruas pelos cães de guarda da burguesia, e também lutar pela dissolução das forças repressivas do Estado, que servem apenas para atacar e controlar as forças populares.