Assassinato de Qassam Soleiman
Ataque dos EUA é uma agressão criminosa contra o Irã, o Iraque e os países do Oriente Médio
Captura de Tela 2020-01-03 às 14.22.09
Manifestação em Islamabad. Foto: Reprodução/Press TV |

Da redação – Em vários países, manifestantes muçulmanos saíram às ruas para protestar contra o assassinato do general Qassam Soleimani, líder do Corpo de Guardas Revolucionários do Irã, por parte das forças armadas dos EUA, na madrugada desta sexta-feira (03), em Bagdá, Iraque.

Na capital do Paquistão, Islamabad, uma marcha em solidariedade ao povo iraniano e em repúdio do imperialismo tomou conta das ruas. Organizada por entidades estudantis, a manifestação contou com centenas de pessoas, destacadamente mulheres e pessoas de terceira idade, além de jovens. Havia cartazes com os dizeres “Abaixo os EUA, abaixo Israel” e bandeiras norte-americanas foram queimadas.

Próximo dali, na província indiana da Caxemira, uma multidão encheu as ruas da cidade de Budgam, com dezenas de cartazes retratando Soleimani. Havia também muitos jovens e crianças.

Diversos países denunciaram o ataque imperialista. O Parlamento do Iraque afirmou que foi um ataque à soberania nacional de seu país, enquanto o braço iraquiano do Hezbollah disse que haverá consequências.

No Irã, em várias cidades centenas de milhares de pessoas foram às ruas ensandecidas contra o ataque brutal do imperialismo, marchando em Teerã e em outras províncias, incluindo uma passeata até o escritório das Nações Unidas e incêndios contra bandeiras norte-americanas.

Relacionadas