Fascismo de Estado
Após uma espera de mais de dois meses para a saída de uma autópsia, o brutal assassinato de bolivianos pela polícia brasileira no Mato Grosso revela que vítimas foram torturadas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bolivia3
O assassinato dos indígenas é um atentado ao povo da Bolívia e acende o alerta da tortura no País | Foto: Reprodução

A Defensoria Pública do Mato Grosso anunciou nessa sexta-feira (04/9) que iniciou os agentes policiais envolvidos na morte de quatro cidadãos bolivianos, na fronteira entre Brasil e Bolívia. O caso ocorreu no dia 11 de agosto, durante quase dois meses o acontecimento ficou abafado pelo poder público mato-grossense, dominado pela oligarquia local.

Segundo a polícia as mortes foram “decorrentes de um confronto” entre os policiais e supostos traficantes de drogas. Porém nenhuma droga ilícita foi achada com os chiquitanos da Bolívia, muito menos armas. Depois de uma longa espera pela autopsia, indícios de tortura foram encontrados nos indígenas bolivianos.

O caso mostra que o poder público, dominado pelo latifúndio, não teve o menor interesse em solucionar o caso de fato. Além do avanço do fascismo no aparato de Estado e acende o alerta sobre a presença da tortura no País.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas