Ação criminosa do judiciário
Direita e judiciário fascista do estado de Mato Grosso pretendem despejar moradores do assentamento da Gleba Boa Sorte em plena pandemia da Covid-19
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
gleba boa sorte
Mandado de reintegração de posse contra assentamento em Mato Grosso | Foto retirada do site Caldeirão político

No último dia 09, o governo do estado de Mato Grosso, via poder judicial, ordenou o despejo de famílias do assentamento da Gleba Boa Sorte localizado no distrito de Machado.

Estima-se que mais de 200 famílias estejam ameaçadas com a ordem de despejo que está sendo realizado em plena pandemia da Covid-19. 

O assentamento, no entanto, possui direito concedido pelo Instituto de Terras de Mato Grosso -INTERMAT  de residir no local e, segundo relato de uma moradora fornecido ao site Muvuca Popular, as famílias estão na localidade desde o ano de 2014 sob autorização da própria INTERMAT. 

A ordem de despejo foi marcada para ocorrer quarta-feira (16/09/2020) e, diante desse absurdo, os moradores do assentamento estão se manifestando. Protestaram na manhã de terça-feira (15/09/2020) na frente do Palácio da Justiça em Cuiabá e através de bloqueio da MT- 010, conhecida popularmente como  estrada da Guia. 

No documento de despejo, expedido pelo Juiz Carlos Roberto B. de Campos, consta como parte autora do processo a Indústria de derivados da Mandioca Santa Cruz Ltda. Segundo consta no  mandado, o Juiz autoriza a “[…] demolição dos barracos que impedem o cultivo na área”. Fica evidente, através dessa ordem, que para o governo direitista de Mauro Mendes e para o  judiciário fascista, a propriedade privada está acima de qualquer interesse social dos setores oprimidos da sociedade. Ambos estão preocupados em proteger os interesses das empresas e latifundiários, que visam o lucro a qualquer custo, em detrimento das famílias dos setores empobrecidos da sociedade. 

Em áudio, enviado por uma criança que é moradora do assentamento a uma professora e disponibilizado no mesmo site citado acima, diz: Professora, a polícia acabou de vir aqui em casa falando que vamos ser despejados, minha mãe está arrumando as coisas para nós sairmos daqui, por isso que eu não estou fazendo minhas tarefas, essas que eu enviei eu já tinha feito”. 

Segundo o advogado da comunidade, em entrevista fornecida ao site caldeirão político, tal situação é atípica e inaceitável. Ele ressalta que o que parece estar em jogo é a possibilidade de existência de ouro no solo da região e que o dono da fazendo ameaçou receber os assentados a bala. O advogado alertou, ainda, que diante de tal situação é provável que ocorra banho de sangue. 

Se nada for feito é provável que tenhamos uma nova chacina no campo no estado de Mato Grosso, como ocorreu no ano de 2017 no município de Colniza, pouco tempo  após o golpe de estado de 2016. Por isso, é necessário que todos aqueles que são contra essa ação criminosa se dirijam até o local para se manifestar e defender as famílias que estão ameaçadas de despejo.

A única maneira de reverter esse quadro de ataques covardes feitos pela direita é através da mobilização popular por Fora Bolsonaro e todos os golpistas, por um governo de trabalhadores e pela reforma agrária. Além disso, se faz necessário destituir todo o judiciário fascista e substituir os inimigos do povo por juízes eleitos pelo voto popular!

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas