MST realiza ato contra a política persecutória de Dória, que vetou a Feira Nacional Da Reforma Agrária

mst-parque-da-agua-branca-2
Da redação – Na última quarta-feira (17) no Parque da Água Branca, em São Paulo (SP), foi realizado o ato em defesa da Feira Nacional da Reforma Agrária.
 
O ato contou com aproximadamente 250 ativistas do MST e de outras frentes de esquerda.
 
A feira anual do MST, que estava marcada para acontecer no dia 2 de maio, foi adiada para agosto, com local ainda indefinido.
 
O tucano fascista do bico flácido, João Doria (PSDB) não autorizou a tão bem quista e tradicional feira sob a cínica justificativa de que o parque não comportaria o evento.
 
Vale lembrar que essa é uma desculpa esfarrapada do governador fascista, uma vez que essa seria a quarta edição da feira e que as três últimas foram um sucesso. Chega a ser impossível encontrar uma pessoa que não seja um banqueiro ou do agronegócio, que seja contra a feira, composta por diversidade enorme de produtos orgânicos de altíssima qualidade e a preços honestíssimos.
 
Também não é o caso de se surpreender com o gesto do tucano almofadinha, já que que por ele as crianças do ensino público deveriam ser alimentadas com restos processados de comida próxima ao vencimento (farinata).
 
Doria é produto da fraude eleitoral e da perseguição contra o PT assim como Bolsonaro.
Esse playboy pau-mandado de norte-americano não tem autoridade para governar São Paulo, que sofre uma ditadura e vive esse pesadelo que é ser governado pelo PSDB há décadas.
 
É preciso que todas as organizações de esquerda se unam e centralizem suas forças na luta contra o Golpe de conjunto, visto que as instituições estão completamente aparelhadas para transformar o Brasil no curral do Imperialismo.