MST não é terrorista, os apoiadores de Bolsonaro sim

Jair Bolsonaro durante ato de filiação ao PSL (Partido Social Liberal)

Em um vídeo postado em março deste ano no Youtube, Bolsonaro aparece de sonda e com dificuldades evidentes de fala, para atacar o Movimento Sem Terra e sua liderança, João Pedro Stedile, acusando-o de pregar uma “ideologia que está longe de casar com o livre mercado”.

A sonda e a dificuldade de fala chama a atenção por reforçar a ideia de que Bolsonaro não sofreu facada alguma, e que teria mentido para o povo brasileiro para esconder uma doença grave, que necessitava de intervenção cirúrgica urgente, provavelmente um câncer.

Mas o mais importante deste vídeo é ver as enorme dificuldades que o fascista tem para acusar o MST não se sabe bem de que. Chega a impressionar a dificuldade que Bolsonaro tem de articular duas ou três ideias com um mínimo de racionalidade.

E isto é bem elucidativo. A extrema-direita nunca foi capaz de apresentar um conjunto inteligível de ideias justamente porque a única lógica do fascismo é atacar o movimento operário e camponês, com o único objetivo de destruir toda e qualquer organização das massas. É isto o que Bolsonaro chama de “ideologia”, enquanto incentiva seus seguidores a agir da forma a mais violenta possível.

E como não poderia ser diferente, o cinismo típico da burguesia é também outra das marcas registradas do seu cão raivoso, o fascismo. Eles sempre acusam o povo dos crimes que eles mesmos levam à efeito. Bolsonaro dissemina e incentiva as mais brutais atitudes de terrorismo contra movimentos populares, para depois acusá-los justamente de serem “terroristas”.

Por isso que o mais importante deste vídeo não está apenas em demonstrar o que muita gente já tinha percebido: que Bolsonaro inventou uma facada falsa, tentando fazer todo o povo brasileiro de bobo.

O que é realmente instrutivo neste vídeo é que ele demonstra didaticamente o porquê de não existir nenhuma possibilidade de debate com a extrema-direita. O Bolsonaro que aparece aí sem falar coisa com coisa é a imagem fiel do fascismo. A força bruta da burguesia. Cínica como a sua criadora, mas estúpida demais para qualquer consideração racional.

Cinismo e brutalidade que são a marca do terrorismo com que os seguidores fanáticos deste monstro da burguesia estão atacando o MST.

Por isto não se pode perder mais um minuto sequer. É urgente a formação efetiva de comitês de autodefesa em todos os movimentos operários e sociais, particularmente no MST que é alvo antigo da cada vez mais intensa ação terrorista dos seguidores do Bolsonaro.

Fora Bolsonaro e todos os golpistas!