MST forma primeira turma com 44 engenheiros agrônomos no Rio Grande do Sul

mst (3)

Da redação – O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) formou 44 jovens camponeses como Engenheiros Agrônomos no último sábado (15) e reforçou a luta do movimento por uma autonomia contra os ataques do Estado Burguês. Os formandos são oriundos de dez estados, no Curso Superior de Agronomia com Ênfase em Agroecologia e a colação de grau dos trabalhadores Sem Terra e Atingidos por Barragens foi realizada no Assentamento Novo Sarandi, em Sarandi, no Norte do Rio Grande do Sul.

Formandos são oriundos de dez estados (RS, SC, PR, SP, MT, MS, GO, CE, TO, RO). Foto Leandro Molina.jpg
Formandos são oriundos de dez estados (RS, SC, PR, SP, MT, MS, GO, CE, TO, RO). Foto Leandro Molina

Fotos: Leandro Molina

As aulas de Bacharelado em Agronomia acontecem desde 2014 no Instituto Educar, na escola de ensino superior e técnico construída pelo MST na antiga Fazenda Annoni, em Pontão, também na região Norte gaúcha. Essa é a primeira turma de engenheiros agrônomos formada na instituição. A segunda conclui seus estudos em 2020 e a terceira deve ingressar em fevereiro de 2019. O curso, que possui cinco anos de duração e ocorre em regime de alternância, é viabilizado através do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera), em parceria com a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim.