COVID-19 em frigoríficos
Os trabalhadores organizados poderão derrotar a imposição dos patrões dos frigorficos´e preservar suas vidas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
campanha-frigorificos - 2020
Campanha nacional em defesa da vida dos trabalhadores em frigoríficos | Foto: Reprodução"

Mais 15 frigoríficos denunciados, somente no estado de Mato Grosso do Sul, o que sobre a contaminação de trabalhadores.

São casos de frigoríficos com mais de 300 trabalhadores contaminados, o que denota o tamanho da catástrofe. Apesar da notícia, se formos fazer um quadro comparativo nacional, em todos os estados e municípios chegaremos a dados que, até o momento foram ocultados, tanto pelos patrões, quanto pela imprensa e o próprio Ministério Público do Trabalho (MPT), este último, muito longe de conseguir atingir a quantidade imensa de frigoríficos que, hoje chega a mais de mil e, o MPT e seus fiscais diminuídos pelo governo Bolsonaro e sua trupe, como a latifundiária, golpista e ministra da agricultura Tereza Cristina, que estão extinguindo com as fiscalizações e com todas as Normas Regulamentadoras (MRs) referentes às condições de segurança e saúde dos trabalhadores.

De acordo com a imprensa venal da Globo, o G1 de domingo (13), o MPT em 15 frigoríficos até agora, seis meses após o início da pandemia e, como os patrões nunca se preocuparam com as condições mínimas de segurança de seus funcionários, muito menos nesses últimos meses a contaminação se alastrou de forma exponencial entre os operários desse setor industrial.

Os dados conseguidos pelas direções dos trabalhadores no setor de frigorífico, obtidos através dos trabalhadores contam mais de 125 mil operários contaminados, tomando-se por base 500 trabalhadores existentes nas fábricas, ou seja, mais de 25% desse total já foram vítimas do contágio do coronavírus, desses, uma quantidade enorme sucumbiram à atitude genocida dos patrões.

Grandes empresas como a JBS/Friboi, Marfrig Group, BRF – Brasil Foods, Minerva, Mataboi, Vale Grande, etc., espalhadas por toda a extensão do estado de Mato Grosso, como Várzea Grande, Sinop, Pontes de Lacerda, Araputanga, Barra dos Garças, colider, Confresa, Pedra preta, Alta Floresta, Matapuá, Diamantino são responsáveis por uma infinidade de trabalhadores contaminados, no entanto, como a única preocupação, a qual interessa a esses donos de frigoríficos que é o lucro de suas empresas e ver suas contas bancárias aumentando cada vez mais, o que importa se contingentes enormes de trabalhadores sejam contaminados e mortos.

Os trabalhadores organizados poderão derrotar a imposição dos patrões

Não há outra forma para os trabalhadores poderem sobreviver diante das péssimas condições impostas pelos patrões que não seja através de uma luta conjunta, a nível nacional. Da paralisação das atividades com uma greve.

Desta forma, o Sindicato dos Frios de São Paulo, onde, apesar do governador do estado, do golpista PSDB, faz de tudo para que nada saia na imprensa, que os casos sejam ocultados, sejam jogados por debaixo do tapete entrou, juntamente com a Central Única dos Trabalhadores (CUT) entre outras organizações, como a Contac, etc. na campanha cujo objetivo e organizar a greve, caso os patrões não resolvam as questões da preservação da vida de seus funcionários. O mote da campanha é “a carne mais barata do frigorífico é a do trabalhador”.

as-preventivas-a-covid-em-mt.ghtml – Link de Orientação 2 – – Audio: Orientação: Sempre colocar uma imagem de destaque maior do que 720×720. Matéria precisa ter pelo menos 2500 caaracteres.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas