MPF manda criar assentamento em Rondônia: latifundiários estavam tentando roubar terras públicas

mutum paraná

O distrito de Mutum-Paraná, próximo ao município de Porto Velho, em Rondônia, é uma região que, desde 2000, é marcada por conflitos entre grandes latifundiários e sem terras, que lutam pelo direito a moradia e trabalho. No último ano o conflito agrário se intensificou e o Ministério Público interviu na situação.

O MPF lançou, nessa última semana, uma ação que obriga a União e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) a criar um assentamento direcionado a população sem terra. O objetivo é regularizar os espaços ocupados por aqueles que mais precisam da reforma agrária, concedendo espaços para que essas pessoas possam trabalhar e manter a si e suas respectivas famílias.

Os grandes latifundiários se intitulam donos das fazendas Três Corações (I, II, III) e Famiya. Esses espaços são o centro da tensão entre eles e os sem terras. Todavia, após investigações realizadas pelo Ministério Público Federal, constatou se que a posse dos locais é da União. A ideia é que ela, e o INCRA, retomem as áreas ocupadas, redistribuindo as terras.