MPF golpista nega ter cometido abuso de autoridade contra testemunhas no caso do sítio de Atibaia

sitio

Da redação – O Ministério Público Federal negou, na terça-feira (26), abuso de autoridade denunciado por testemunhas no processo do sítio de Atibaia, na quarta-feira da semana que passou (20).

Em depoimento, as testemunhas disseram que foram tratadas com extrema truculência, sem prestar as devidas explicações sobre a condução coercitiva a que estavam sendo submetidas.

O eletricista Lietides Pereira, irmão do caseiro do Sítio, afirmou que a PF e o MPF retiraram sua mulher de casa às seis da manhã, juntamente com o filho do casal de apenas oito anos de idade, sem prestar nenhum tipo de intimação, mandado de apreensão ou de condução coercitiva. O pedreiro Edvaldo Pereira, também irmão do caseiro, afirmou que foi intimidado pelos procuradores ao ser questionado sobre o Lula e o sítio.

O fato do MPF não ver nenhuma irregularidade neste procedimento completamente inconstitucional e arbitrário só demonstra como o judiciário está alinhado ao golpe.