Eduardo Bolsonaro: patriota?!
Eduardo Bolsonaro diz que o movimento 65 do PCdo B é uma enganação para passar o comunismo debaixo do verde e amarelo. Mas e ele, é patriota e nacionalista ou entreguista?!
trump-eduardo-e-bolsonaro
O capacho de Trump. Imagem: reprodução. |

Na quinta-feira 30,  o deputado Eduardo Bolsonaro, em relação ao “Movimento 65”, novo projeto do PCdoB para as eleições municipais, afirmou nas redes sociais, que o PCdoB tenta “esconder” sua orientação comunista ao criar uma nova marca visual sem o termo.

Disse Eduardo que “Partido defensor de todo tipo de ditadura genocida, agora o PCdoB tá tentando enganar o povo e escondendo o comunista de seu nome. Perceberam que os brasileiros repudiam o vermelho e agora se pintaram de verde-amarelo… spoiler: não vai adiantar”.

Eduardo Bolsonaro critica o PCdoB, dizendo que com essas mudanças quer enganar o povo sobre sua natureza ideológica de esquerda comunista, mas se esquece de esclarecer a confusão proposital que faz entre patriotismo, nacionalismo e entrega do patrimônio nacional.

A crítica do zero dois é totalmente demagógica. A família Bolsonaro e a extrema direita que tomou o poder tenta enganar a população se dizendo nacionalistas, em defesa da pátria e da família, mas só se for a dos EUA e de Trump.

A politica de Bolsonaro é de total submissão a força mais poderosa ao qual Bolsonaro se associou, o mercado financeiro, e que determinou, como condição e apoio ao seu governo, as privatização do Estado Brasileiro, através entrega de todas as Estatais. O mesmo raciocínio se aplica a questões como o Bolsa Família, a Previdência Social, a “reforma” trabalhista, a Emenda Constitucional 95 (que congela os investimentos públicos por 20 anos) e os fundamentos ultraliberais e neocoloniais da sua proposta econômica.

 Tanto é assim, que, depois da entrega parcial da BR Distribuidora, de 8 refinarias, e de polos de geração de tecnologia espalhadas pelo Brasil todo: unidades do Amazonas, as duas unidades do Paraná, a de Minas Gerais, Pernambuco, do Rio Grande do Sul, Bahia e Ceará, o governo Bolsonaro divulgou (29) uma lista com o calendário de privatização de mais 16 empresas estatais, onde entre elas estão a Dataprev, os Correios, EBC, Casa da Moeda e a fabricante de chips Ceitec.

São verdadeiros charlatões, que, mais do que enganar a população com essa história de patriota, eles estão dando o nosso patrimônio e riquezas de mão beijada.

Bolsonaro deve ao capital financeiro e ao imperialismo estadunidense a entrega das riquezas nacionais, e passa por cima de qualquer um para conseguir isso. Tanto é assim que, em junho passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o governo federal não pode vender estatais sem aval do Congresso Nacional e sem licitação quando a transação implicar perda de controle acionário.

O patriotismo e o nacionalismo é uma mentira que só engole quem não consegue raciocinar. Veja, por exemplo, quanto à entrega da Petrobrás. É claro que, com a privatização, não se eliminará monopólios como justificam os defensores da medida, mas serão formados monopólios estrangeiros, e  com a privatização aumentarão os preços dos combustíveis e o custo de vida junto deixando a vida muito mais cara para o trabalhador. Trata-se de um crime para submeter o país aos ditames de oligopólios internacionais.Shell, Total, Repsol, Chevron, BP estão rindo à toa.

Com o Brasil sendo rifado como está, e graças ao golpe de 16 e da Lava Jato, esses bolsonaristas, principalmente a ala militar que garantiu tudo isso, como podem afirmar ser o maior depósito e fonte de brasileiros democratas e nacionalistas de que a Nação dispõe?!

 

Relacionadas