Moro não é um juiz, é um carrasco

O juiz Sérgio Moro

Entrevistado pela CGTN, a China Global Television Network, uma rede de TV chinesa, um dos personagens mais escatológicos do golpe, Sérgio Moro, respondeu às críticas da rapidez envolvendo o processo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dizendo que “simplesmente cumpriu o seu papel”.

Todos sabemos que o papel de Moro é justamente atender aos interesses do imperialismo no Brasil, atropelando todo e qualquer tipo de direito que um cidadão possa ter em um regime democrático, como dita a Constituição ao dizer que ninguém pode ser preso antes de ter o trânsito julgado em todas as instâncias da Justiça. É óbvio que o juiz golpista sabe exatamente o que está fazendo, apesar de disfarçar seu cinismo com declarações de que ele “apenas” cumpriu a lei, e que não existe nada de anormal no caso.

Aliás, na própria entrevista ao canal chinês, Moro já dá um pista do próximo alvo do imperialismo por aqui. Ele classificou a prisão de Lula como “importante” e disse ainda que “é preciso olhar de maneira mais ampla para as investigações de corrupção na Petrobras”. Ou seja, Moro quer consolidar seu papel de destruidor da riqueza nacional ao perseguir a maior e mais simbólica empresa estatal brasileira.

Não se pode cair no papo da burguesia, que aliás está aproveitando todas as oportunidades possíveis para promover o Mussolini de Maringá em premiações e palestras, e devemos ter bem claro que Moro foi escolhido a dedo para fazer exatamente o que estamos vendo. Ele foi apontado e treinado pelos Estados Unidos para impulsionar o golpe no Brasil e isso, mais hora ou menos hora, ficará claro como um dia de sol para os trabalhadores, resultando em experiências desagradáveis para o magistrado.