Moro e Bolsonaro usam Força Nacional para reprimir mulheres

8aaea189c7_marcha-das-margaridas-2

A cada dia de crise que se passa no governo dos golpistas, mais eles tomam medidas desesperadas e absurdas, como aconteceu na Marcha das Margaridas e Marcha das Mulheres Indígenas, em Brasília, nesta terça-feira (13), onde o presidente reacionário e um dos agentes do imperialismo no Brasil, Sérgio Moro, autorizaram o uso da Força Nacional para fazer a segurança da Esplanada dos Ministérios e da Praça dos Três Poderes.

Essa medida foi uma recomendação do Gabinete de Segurança Institucional, um antro de direitistas com medo da fúria popular nas ruas gritando contra o governo genocida de Bolsonaro. Utilizar a Força Nacional para reprimir a Marcha das Margaridas e a Marcha das Mulheres Indígenas, manifestações totalmente pacíficas, significa abrir precedentes para reprimir os atos que vêm acontecendo contra o governo, como as manifestações dessa terça-feira (13), onde diversos estados do Brasil protagonizaram atos enormes contra as medidas golpistas de Bolsonaro.

Como é de costume, o Estado sempre manda seu principal aparato de repressão nas ruas, a Polícia Militar, para supervisionar as manifestações, e por absolutamente qualquer motivo, a PM se sente respaldada e à vontade para ser agressiva com os manifestantes. Essa é a política da extrema-direita que está no poder, conter as insatisfações sociais com violência do Estado em cima da classe trabalhadora, que é a única afetada no meio de toda essa crise.