Moro
|

Da redação – O “Mussolini de Maringá”, juiz da 13a Vara Federal de Curitiba, negou os pedidos de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que pretendiam tirar de seu comando as ações sobre o prédio do Instituto Lula e do Sítio em Atibaia. Apesar de Lula já estar preso, a perseguição política continua sendo imensa.

Nas decisões assinadas nos dias 12 e 18 de Setembro, Moro diz que Lula, ao invés de esclarecer os fatos e os motivos, que como vimos no processo do Triplex, são todos fraudados, prefere “refugiar-se na condição de vítima de imaginária perseguição política”.

“Ao contrário, ao invés de esclarecer os fatos concretos e contribuir com a elucidação da verdade, prefere a Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva apelar para a fantasia da perseguição política”.

Esse é o cinismo dos juízes que levaram adiante o processo inquisitório contra o ex-presidente metalúrgico. Prenderam Lula sem provas, com armações ilegais, desrespeitando todo direito democrático do julgado, e mesmo assim continuam perseguindo-o e mentindo para a população sobre os fatos.

Relacionadas