Moro confessa: “não há prova” contra Lula

moro-ebc

Da Redação – O juiz da 13º Vara da Justiça Federal de Curitiba, Sérgio Moro, também conhecido popularmente como “Mussolini de Maringá”, reafirmou novamente em despacho emitido nesta terça-feira (19), que mantém o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encarcerado na Superintendência da Polícia Federal, desde 7 de abril, na capital paranaense, por conta do processo pelo “Triplex do Guarujá”, mesmo sem provas.

No despacho, Moro diz não haver provas, embora insista na tese de que a suposta vantagem indevida teria sido resultado de corrupção. Moro diz: “Não há prova de que os recursos obtidos pela OAS com o contrato com a Petrobrás foram especificamente utilizados para pagamento ao Presidente. Mas isso não altera o fato provado naqueles autos de que a vantagem indevida foi resultado de acerto de corrupção em contratos da Petrobrás”.

Na verdade, não há provas que sustentem nenhuma condenação e processo contra Lula. Os golpistas sabem disso. A função de Moro é justamente esta: treinado pelo imperialismo, como mostrado em documentos vazados pela Wikileaks, o juiz foi colocado como um dos principais agentes do golpismo com a grande missão de prender Lula, custe o que custar.

A manifestação do juiz paranaense vem para reforçar o caráter político da prisão de Lula, preso há 166 dias em Curitiba. Não há lei e nem instituição capaz de reverter o processo de perseguição implacável promovido pela Justiça contra os direitos de Lula e de milhões de brasileiros que gostariam de votar no ex-presidente. Apenas uma mobilização das massas, com trabalhadores, estudantes e movimentos operários e sociais pode derrotar o golpe, que instituiu um regime inconstitucional e prendeu Lula para que este não concorra nas eleições e para entregar todos os recursos do País ao imperialismo, reprimindo todas as classes populares e organizações de esquerda.