Moro anuncia general para cargo e prova mais uma vez que é bolsonarista e do PSDB

general (1)

Da redação – O futuro ministro da Justiça golpista, Sergio Moro, seguindo ordens diretas dos EUA vindas dos donos do golpe, anunciou ontem (4) o general da reserva – e tucano -, Guilherme Theophilo, para o cargo de Secretário Nacional de Segurança Pública (Senasp). O general foi candidato no último pleito, para o governo do Ceará pelo golpista PSDB, demonstrando como os militares estão intimamente ligados a todo processo que derrubou a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) em 2016.

Como todos os outros militares indicados para o governo Bolsonaro, Guilherme Theophilo também formou-se na Academia Militar das Agulhas Negras e fez parte dos serviços de inteligência do Exército. Fora isso, ele foi o candidato de Tasso Jereissati (PSDB-CE), indicando que sua presença no Ministério de Moro deve aproximar o PSDB do governo Bolsonaro.

Apesar da clara indicação político-partidária, o também politico Sérgio Moro afirma cinicamente que “a indicação não é político-partidária pelo desligamento de Theophilo do PSDB”. Essa é uma afirmação simplista deixa ainda mais claro a falta de interesse de Moro em esconder sua posição golpista, pró-bolsonarista e pró-PSDBista.

A imprensa burguesa, “rápida no gatilho” para defender os seus golpistas, também alega que o general se desfiliou do partido e, por isso, não seria uma indicação “político-partidária”. Assim como o próprio “juizeco”, agora ministro, não teria sido uma indicação política.

Segundo essa imprensa, Moro não ganhou o cargo como recebimento do salário pelos serviços prestados ao prender Lula sem provas, ao perseguir o PT e seus dirigentes, ao entregar as maiores empresas do país… nada disso!

É como se o povo brasileiro, que não elegeu Bolsonaro, fosse estúpido e não estivesse vendo todo esse circo sendo montado. Com PT, a imprensa tratava tudo como indicação política, formação de quadrilha, corrupção e etc. Já no governo ilegítimo de Bolsonaro, corruptos declarados, como Onyx Lorenzoni, e inimigos do povo, da educação pública, da saúde pública, são colocados nos ministérios para as respectivas entregas, privatizações e destruições.

Na realidade, essa nova coalizão golpista está costurando os diversos interesses da classe dominante brasileira a fim de estabilizar um regime pouco coeso. Da mesma forma que Moro passou em cima de qualquer lei, ignorando as próprias clausulas pétreas da constituição brasileira ao prender Lula em segunda instancia, ele deve fazê-lo a fim armar o governo para um embate implacável contra os trabalhadores brasileiros.

A indicação de Moro, prova mais uma vez: é um bolsonarista e um golpista do PSDB.