Ditadura da “fake news”
A esquerda precisa se mobilizar amplamente contra está ação ditatorial que visa perseguir os trabalhadores que denunciem o governo nazista de Bolsonaro
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
BRASILIA, DF,  BRASIL,  21-02-2017, 12h00: Sabatina do ministro licenciado da Justiça e indicado ao STF Alexandre de Moraes, na CCJ do senado federal. O senador Edison Lobão (PMDB-MA) preside a sessão e o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) relata a indicação. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER)
Ministro golpista do STF | Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O ministro golpista do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, decidiu excluir nesta sexta-feira (24), contas do Twitter de alvos de investigações por suposta disseminação de fake news, aliados do presidente Jair Bolsonaro.

Os perfis suspensos são do presidente do PTB, Roberto Jefferson, dos empresários Luciano Hang, Edgard Corona, Otávio Fakhoury, Bernardo Küster, bem como do blogueiro Allan dos Santos e do assessor do deputado estadual de São Paulo Edson Salomão.

Esses bloqueados são os mesmos que em maio tiveram busca e apreensão autorizadas pelo ministro, em desdobramento do inquérito das fake news, que apura ataques a ministros da Corte e disseminação de notícias falsas. À época, Moraes bloqueou as contas, e agora, segundo o Twitter, foram derrubadas por decisão legal.

A esquerda precisa denunciar que está é uma perseguição ditatorial que irá acabar no povo. Se parlamentares da direita, com estrutura e dinheiro, não podem dar sua opinião, o que será dos trabalhadores?

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas