É preciso lutar pelo fim da PM
A PM matou mais um jovem de periferia em Santa Catarina, o povo revoltado se manifestou fazendo barricadas e ateando fogo nas ruas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
floripa
Barricadas em chamas na entrada da comunidade. Foto retirada de video postado por Floripa Mil Grau |

Na sexta feira, dia 15 de maio, a Polícia Militar de Santa Catarina matou mais um jovem, de 16 anos, no bairro de Monte Cristo em Florianópolis (SC). Revoltados com o assassinato os moradores em manifestação fizeram barricadas na rua e atearam fogo, a repressão policial aumentou e de acordo com a PM a população arremessou pedras e rojões. O evento terminou com a polícia reprimindo a manifestação a tiros.

Em um primeiro momento da pandemia de Covid-19 esse próprio diário publicou que os assassinatos realizados pela PM do Rio de Janeiro haviam diminuído visto que o BOPE havia entrado parcialmente em quarentena. Contudo, a polícia aparenta já ter voltado para sua prática diária de matar o povo pobre brasileiro a sangue frio. Nessa semana só em uma dia no Complexo do Alemão 13 pessoas foram assassinadas. A polícia deu início a operações em diversas outras favelas na capital carioca e o número de mortos deve aumentar ainda mais. Em Florianópolis outro jovem foi morto no mês de abril no Morro do Mocotó que também gerou protestos da população.

A Polícia Militar tem como seu único objetivo a repressão do povo brasileiro e o faz de forma cada vez mais violenta, principalmente no governo governo golpista de Bolsonaro e dos governadores fascistas como o de Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo e muitos outros estados. É um dos piores vestígios da ditadura militar que se torna cada vez mais assassina, como costumava ser, quando mais ditatorial fica o regime político no Brasil. É uma instituição fascista que, pela própria definição, destrói a democracia da classe operária usando a violência, por isso a esmagadora maioria dos assassinatos são realizados nos bairros operários.

A reação da população do bairro de Monte Cristo não só é legítima como é a política certa a ser tomada. A mobilização deve ser feita, mas deve ser organizada, não só no bairro ou na cidade de Florianópolis, mas em todo o Brasil. É necessário organizar a classe trabalhadora para lutar pelo fim da Polícia Militar! Não só isso como lutar contra toda a extrema direita que está no poder atualmente e também aqueles que a colocaram no poder, isto é, os golpistas que derrubaram Dilma e fraudaram as eleições de 2018 ao retirar a candidatura de Lula garantido a vitória de Bolsonaro. Fim da Polícia Militar! Fora Bolsonaro e todos os golpistas!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas