Milícia do latifúndio: jagunços estão ameaçando trabalhadores sem-terra em Rondônia

sem-terra

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Rondônia está divulgando que vem recebendo diversas denuncias de trabalhadores rurais sem-terra sobre a atuação e intimidação de milícias para intimidar e expulsar as famílias. As denuncias são que pistoleiros do latifundiário Jorge Bispo estão indo nas casas e lotes entre o Distrito de Bandeirantes (Porto Velho) e o Distrito de Nova Dimensão (Nova Mamoré) atirando para o alto e gritando que agora tem autorização para matar.

As ameaças são até para quem apoia a luta dos trabalhadores sem-terra. No dia 25 de julho deste ano, na linha 29 deste distrito de Nova Mamoré, uma ação ilegal da polícia militar envolvendo 105 famílias de um acampamento sem-terra em área pública da União resultou na morte de dois trabalhadores sem-terra.

As famílias sem-terra correm um grande risco nessa região e devem se organizar para formar comitês de autodefesa para impedir mais mortes e violência realizada por essas milícias e pela polícia.

O Estado de Rondônia sempre foi controlado diretamente pelos latifundiários e grileiros de terra e conhecido por crimes contra trabalhadores rurais sem-terra realizados por milícias de pistoleiros formadas muitas vezes por policiais.

A fraude que colocou o fascista Bolsonaro na presidência foi um sinal para essas milícias atuarem a vontade contra esses trabalhadores e comunidades indígenas e quilombolas. Essa violência vai aumentar ainda mais.