“Moderação”: direita golpista quer que o PT vire o PSDB, capitule diante do golpe e perca as eleições

Camilo Santana do PT eleito com 79,99% no primeiro turno para o governo do Ceará vê a necessidade de auto critica partidária e um diálogo com a direita. Em entrevista para a Folha de S. Paulo ele considera necessário um diálogo com os articuladores do golpe (PSDB).

O Petista Camilo Santana disse que Haddad deve se afastar da marca do PT. Ou seja, esquecer o Lula,  maior liderança popular, e virar a página do golpe. Para Camilo, Haddad tem que que se apresentar como um candidato acima do PT para distensionar e acabar com a polarização do país. Fazer um acordo com todos os segmentos e mostrar credibilidade para o mercado.

Segundo o governador Santana a estratégia do PT é apresentar um candidato que represente o progresso e o futuro do país . Fazendo um contra ponto com o fantoche da direita Jair Bolsonaro que representaria o retrocesso. Porem, esse retrocesso foi provocado pelo mesmos golpistas que criaram Bolsonaro e colocaram Luiz Inácio Lula da Silva na masmorra de Curitiba. Mesma máfia que o Governador petista agora quer se abra um diálogo. Jacques Wagner, também foi um dos “conselheiros” de Haddad, dizendo que o tom do discurso do candidato sobre segurança pública e legislação penal deve mais duro.

O candidato do PT está sofrendo uma pressão pelos próprios companheiros do partido, para que ele se afaste de Lula e faça um discurso moderado e de conciliação com os golpistas e iguale o seu discurso ao de Bolsonaro sobre legislação penal. Com isso Haddad abandonaria a oposição às reformas trabalhistas colocando assim o PT contra a sua própria base. Isso transformaria o PT no PSDB e desmoralizaria a luta contra o golpe. Porém, essa política não serve nem para ganhar eleições, basta ver o resultado de Alckmin.