Lula presidente!
A unidade da esquerda deve se dar pela candidatura de Lula

Por: Redação do Diário Causa Operária

A decisão do ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), caiu como uma bomba na tarde de ontem (08).

O magistrado anulou todos os processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da fraudulenta e conspirativa Operação Lava Jato.

“Com a decisão, foram declaradas nulas todas as decisões proferidas pela 13ª Vara Federal de Curitiba e determinada a remessa dos respectivos autos para à Seção Judiciária do Distrito Federal”, declarou, em nota à imprensa, o gabinete do ministro.

Agora é oficial: Lula pode ser candidato à presidência da República em 2022.

Fachin e um setor do STF sentiram-se pressionados por todas as revelações que têm sido feitas sobre as conspirações entre as mais diversas instituições do Estado para prender Lula, dar o golpe de 2016 e eleger Bolsonaro.

Trata-se de uma ação de contenção de danos, mas uma ação desesperada. Isso porque abre uma enorme crise política no interior da burguesia e do imperialismo: para tentar safar os golpistas, foram obrigados a absolver Lula e abrir caminho para sua candidatura.

Entretanto, a burguesia não quer Lula nas urnas em 2022. Todos os materiais publicados na imprensa golpista têm um caráter de sinal de alerta, algo como “não deixem Lula ser candidato, porque será Lula contra Bolsonaro. Vocês querem Lula x Bolsonaro, para destruir o País?”. Querem uma “terceira via”, alguém de confiança da burguesia. Por isso não podem admitir Lula.

Isso foi expresso pela entrevista de Ciro Gomes, que disse que Lula até poderia ser inocentado, mas jamais poderia ser candidato, porque a burguesia não pode ficar refém de Lula x Bolsonaro. 

Tudo indica que as manobras contra Lula vão continuar. Por isso é imprescindível a real e imediata anulação de todos, absolutamente todos, os processos contra o ex-presidente. Bem como um inquérito contra Sergio Moro, a Lava Jato como um todo e todos os seus cúmplices – STF, Polícia Federal, partidos políticos da direita golpista, etc.

A esquerda, por sua vez, precisa colocar em prática aquilo que ela mesma vem falando: a unidade das forças populares contra a direita nas eleições de 2022. Lula é o único que unifica os amplos setores operários e populares e o único com chances de vencer Bolsonaro, como reconhecem as próprias pesquisas da burguesia.

O PT, o PCdoB, o PSOL e todos os partidos de esquerda, bem como as organizações dos trabalhadores como a CUT e o MST, devem anunciar imediatamente a candidatura de Lula.

Esse é o chamado do Partido da Causa Operária. “Nosso Partido conclama todos os setores populares, sindicatos e militantes: tomem as redes, as ruas, façam sua voz ser ouvida, não podemos perder mais nem um minuto. Lula candidato já! Por uma candidatura contra o golpe de Estado e a burguesia golpista! Por um candidato dos trabalhadores e por um governo dos trabalhadores!”, diz a nota oficial do PCO publicada logo após o anúncio de Fachin.

Lula é o único candidato com apoio popular. Se tem uma pessoa pela qual a classe operária acredita que vale a pena lutar e votar, essa pessoa é Lula. E isso pode e deve se transformar em um grande movimento de massas, radicalizado, que enfrente Bolsonaro e a direita golpista desde já. Esse movimento de massas, por Lula candidato e Lula presidente, tem o potencial de abalar todas as estruturas do regime golpista e botar abaixo o golpe de Estado e o governo Bolsonaro.

Às ruas, por Lula candidato e Lula presidente!

Send this to a friend