MMR, novo método de escravidão dos professores de São Paulo

Agência Brasil - ABr - Empresa Brasil de Comunicação - EBC

Nas escolas públicas estaduais do Estado de São Paulo, está sendo implementado um tal de MMR, Método de Melhoria de Resultados, mais uma medida de punição para os professores.

O MMR é um velho conhecido das PEI e ETS, Projeto de Escola de tempo Integral, onde os professores possuem diversas atividades extras por terem dedicação integral.

O projeto alegadamente visa melhorar os resultados das escolas e os índices do Saresp e Idesp das escolas, porém não propõe o aumento dos salários, melhoria da infraestrutura, contratação de professores, diminuição de alunos por sala etc.

Os gestores tem assediado os professores para jogarem a culpa nos alunos pelo baixo índice, e os alunos e os pais tem jogado a culpa nos professores.

Alunos e professores devem se unir pela melhoria das condições da educação pública, mobilizar contra o MMR, Saresp, Idesp, por melhores salários e escolas mais estruturadas, por educação pública e de qualidade.