HAMBURGUER_1
SHARE
COMANDO DE GREVE

Não à sabotagem dos atos

É preciso agir

Ministra Tereza Cristina quer esconder o Covid-19 em frigoríficos

Para ministra latifundiária Tereza Cristina, há exageros nos casos de Covid-19 em frigoríficos. Será que 40% de contaminados, como mostra a JBS, é exagero?

Jair Bolsonaro e ministra da agricultura Tereza Cristina – Foto: Reprodução

A ministra da agricultura Tereza Cristina, latifundiária e golpista e parte da trupe do fascista Bolsonaro, com a preocupação de que os dólares, oriundos das exportações de carne, diminuam no país, vem tentado disfarçar a catástrofe reinante nos frigoríficos.

Em vários frigoríficos, espalhados pelo Brasil, foram constatados trabalhadores contaminados, de norte a sul. São mais de 22 estados e o Distrito Federal, mais de 213 denúncias, bem como inúmeros frigoríficos fechados devido a insanidade dos patrões, devido à ganância pelo lucro de suas empresas.

Dois exemplos de como os patrões e o governo golpista fazem com os trabalhadores

No Rio Grande do Sul, o desprezo pela vida dos trabalhadores é tão grande que a JBS/Friboi de Passo Fundo teve que ser interditada por três vezes, apesar de o governador Eduardo Leite, do golpista PSDB e aliado do fascista Bolsonaro, ter tentado, de todas as formas, esconder a atitude genocida dos patrões do grupo JBS.

No estado de Mato Grosso, o frigorífico do mesmo grupo da JBS/Friboi, onde há cerca de 1000 trabalhadores, quatrocentos tinham sido contaminados pelo Covid-19 e o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) decidiu por sua interdição por 14 dias.

A situação era e ainda é para lá de catastrófica, pois esse mesmo TRT, só de regiões diferentes, em vários casos defendeu que a fábrica continuasse em atividade, apesar de o Ministério Público do Trabalho (MPT) acionar a justiça local, impondo a interdição dos frigoríficos, como na cidade de Cabreúva, município de São Paulo, no Frigorífico Flamboiã, ou mesmo no município de Cianorte, no Paraná, no abatedouro Avenorte, do então prefeito e dono do frigorífico, Claudemir Bongiorno, do golpista MDB.

No Avenorte por exemplo, nem bem o frigorífico havia sido interditado, o prefeito patrão acionou o Tribunal Regional do trabalho (TRT) do Paraná e, rapidamente os trabalhadores, sem que o frigorífico fizesse teste nos funcionários e, mesmo organizado as condições mínimas de funcionamento diante do coronavírus, os mais de 3.000 trabalhadores voltassem a trabalhar.

Ou seja, a “justiça”, braço direito dos patrões e seu governo, agiu como sempre age, em proveito dos patrões. O caso do TRT, desta vez fugiu à regra, pois a situação com os trabalhadores estava a ponto de explodir, só por isso.

A lista de frigoríficos é quilométrica e, todos os grandes, médios e pequenos, com maior o menor grau estão deixando os trabalhadores vulneráveis à pandemia.

Tereza Cristina e o país das maravilhas

Se fazendo de desentendida, ou mesmo por simples desprezo para com os trabalhadores, mas preocupadíssima com o volume de dinheiro estrangeiro para o Brasil, a ministra vem de todas as formas tentando ocultar a hecatombe que reina dentro dos frigoríficos. Ela é parte interessada nesse setor industrial e, por isso vem, proferindo declarações fantasiosas como fez na ultima terça-feira (21), qual seja: “a reverberação muitas vezes maior do que o fato” em relação aos casos de coronavírus detectados em frigoríficos brasileiros (…) essa é uma preocupação grande porque, quando você distorce a informação e ela chega lá fora, temos tido problemas com isso”.

A luta dos trabalhadores no setor frigorífico passa por uma mobilização em que a paralização das atividades seja a primeira coisa a acontecer, do contrário, o número de trabalhadores contaminados e mortos serão imensos, por isso a CUT (Central Única dos Trabalhadores) deve tomar a frente dessa luta.

Os trabalhadores, no entanto, devem formar em seus locais de trabalho, comissões de fábrica, para debater sobre todas as atrocidades que os patrões vêm cometendo ao conjunto dos funcionários, com o único propósito de aumentar suas contas bancárias.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.