Ministra golpista volta defender a escola domiciliar

GettyImages-1069063738-1544554783

Depois do golpe de 2016, que derrubou a primeira mulher eleita presidente no Brasil, se intensificaram os  ataques contra as mulheres trabalhadores.

A ministra golpista Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, nessa quinta-feira, 7, veio novamente a público defender o ensino domiciliar, que representa um ataque frontal à mulher trabalhadora.

A medida, se aprovada, vai tirar a responsabilidade do Estado de prover o ensino público e gratuito, colocando mais este fardo nas costas das mulheres, que já respondem pela imensa maioria das tarefas domésticas. Trata-se de uma campanha para aumentar a escravidão feminina, trazendo milhões de mulheres de volta aos lares brasileiros.

Está sendo elaborado uma Medida Provisória (MP) sobre o tema, que será enviada ao Congresso, pois segundo a ministra é um “apelo da sociedade”.

O “apelo da sociedade”, ou seja, de milhões de mulheres e homens trabalhadores, é justamente o contrário: a ampliação das escolas e creches infantis para que a mulher trabalhadora tenha a chance de ter um lugar para deixar seu filho com segurança.

A ministra Damares defende uma família na qual a mulher fique presa às tarefas domésticas, como uma escrava do lar.

Após o golpe as mulheres trabalhadoras são o alvo principal dos golpistas, somente a mobilização dos trabalhadores pode barrar esses e todos os retrocessos promovidos pelos lacaios de plantão.