Ministra golpista do STJ se junta`a turma de Moro e nega 143 habeas corpus de Lula em bloco

laurita

Da redação – A presidenta golpista do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, negou hoje, 11, de uma só vez, 143 habeas corpus protocolados por terceiros desde domingo (8), pedindo a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que é preso político sem provas pela Operação lava Jato.

Todos os pedidos de liberdade negados, pediam que fosse garantido a Lula o direito de recorrer em liberdade, remetendo ao trânsito em julgado que não foi respeitado. Contra sua condenação a 12 anos e um mês sem provas, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá (SP) que nunca esteve no nome de Lula e foi leiloado, a ministra destacou que a execução provisória de pena do ex-presidente já foi decidida tanto pelo STJ como pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e anteriormente atacou o desembargador plantonista como incapaz.  

A serviçal dos golpistas, criticou os pedidos, afirmando que continham redação “padronizada” com o subtítulo “Ato Popular 9 de julho de 2018 – Em defesa das garantias constitucionais” e que essas peças, não tinham “nenhum substrato jurídico adequado”.

“O Poder Judiciário não pode ser utilizado como balcão de reivindicações ou manifestações de natureza política ou ideológico-partidárias. Não é essa sua missão”, disse a magistrada. Porém, essa afirmação vem de uma pessoa que nega habeas corpus de um processo totalmente fraudulento, e além disso, que anula em processos em bloco e critica o direito de protocolar petições sobre assuntos quaisquer. 

Essa decisão demonstra o caráter arbitrário da justiça burguesa, onde, na pessoa de Laurita, rejeitou em bloco os habeas corpus que denunciavam o próprio caráter ilegal dos juízes.