Crise no serviço de saúde
Milhares de trabalhadores da saúde se desligam dos seus órgãos devido à política genocida e de ataques do governo ilegítimo Bolsonaro
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Manifestação-em-Bonsucesso-696x422
Servidores da saúde | Foto: Reprodução

Sem risco de estar cometendo qualquer exagero, podemos afirmar que nunca houve, na história recente deste País, um governo (fruto de um golpe) que atacasse de forma tão brutal e violenta a categoria dos servidores públicos.

Desde o golpe do impeachment da presidenta Dilma Rousseff no Congresso Nacional (cuja o atual legislatura ostenta o título de ser a mais reacionária de todos os tempos) e, em consequência culminou com a fraude das eleições de 2018, onde elevou ao cargo máximo do país um fascista, as instituições burguesas, Executivo, Legislativo e Judiciário, desencadeiam um verdadeiro bombardeiro contra a categoria de servidores públicos, elegendo todo o funcionalismo como “bodes expiatórios”de sua política de terra-arrasada contra tudo o que é público nesse país.

Passado um pouco mais de 600 dias de agonia e sofrimento do governo ilegítimo Bolsonaro, a categoria dos servidores viu extinguir-se, dia após dia, todos um elenco de direitos e conquistas adquiridos ao longo de anos de mobilizações e lutas (fim de Ministérios e secretarias, quebra da estabilidade, terceirizações, congelamento salarial, demissões, etc.) tendo como resultado um profundo retrocesso em suas já precárias condições de vida e trabalho.

Nesse sentido um dado, divulgado pelos órgãos de imprensa, que chama a atenção: o número de servidores, principalmente da área de saúde, que pediram as suas aposentadorias.

São cerca de 11 mil servidores que se aposentaram neste ano até agora, sendo que mais de 3 mil são da área de saúde, o órgão que mais registrou a saída de servidores, com 161 aposentadorias na Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com 79 e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária( Anvisa) 26, o que caracteriza, além dos ataques que estão sendo desferidos aos servidores públicos de forma geral, os servidores saúde estão sendo duramente atingidos com o total descaso do governo em se tratando de Pandemia, o que tem levado a óbito centenas de trabalhadores na área.

Esse é mais um dado das consequências dos ataques do governo, que exige uma resposta de conjunto de todos os servidores. É possível fazer que a categoria ganhe novamente as ruas, enfrente e derrote o governo. Entretanto

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas