“Minha polícia vai atirar para matar”: João Dória mostra que o fascismo é tucano

images (18) (1)

Da redação – Durante entrevista para a Rádio Bandeirantes nesta segunda-feira (01), o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, João Dória, declarou que se for eleito dará “carta branca” para que a polícia do estado atire para matar. João Dória é ex-prefeito da cidade de São Paulo e foi responsável por um dos governos mais repressivos e antipopulares que a cidade já teve.

Na entrevista, assumindo sua verdadeira face, a de um fascista inimigo do povo, Dória afirmou: “Não façam enfrentamento com a Polícia Militar nem a Civil. Porque, a partir de 1° de janeiro, ou se rendem ou vão para o chão”. Vale lembrar que a polícia de São Paulo é uma das mais repressivas do país utilizando níveis extremamente elevados de violência e sendo responsável por centenas de assassinatos todos os anos.

Em outro ponto da entrevista, o candidato fascista do PSDB ainda afirmou: “Se fizer o enfrentamento com a polícia e atirar, a polícia atira. E atira para matar”. As declarações de João Dória soam como uma ameaça à população de São Paulo, que há décadas sofre com a brutalidade da polícia no estado que reprime o povo em nome dos interesses da burguesia.

As declarações de Dória são um ótimo exemplo daquilo que o Jornal Causa Operária vem denunciando: o pior fascista é aquele que bate asas e esconde o bico. Diferentemente do que a esquerda pequeno burguesa vem anunciando, o fascismo não se apresenta apenas na figura do presidenciável Jair Bolsonaro, a verdade é que o PSDB de Dória e Geraldo Alckmin é muitas vezes mais fascista que Bolsonaro. Cabe ressaltar que foi o próprio PSDB que alimentou o avanço da extrema-direita no país e financiou os apoiadores de Bolsonaro e movimentos de direita como o Movimento Brasil Livre (MBL), com a intenção de promover o Golpe de Estado que derrubou ilegalmente a Presidenta Dilma Rousseff.

Agora, na tentativa de legitimar o Golpe através da fraude eleitoral, o PSDB, aliado com a imprensa burguesa e a serviço do imperialismo, lançaram a campanha chamada de “ele não” e conseguiram levar a reboque toda a esquerda pequeno burguesa. Essa campanha tem claramente a intenção de levar Alckmin para o segundo turno, tirando os votos de Bolsonaro e de Haddad.

O que tem que ficar muito claro é que o PSDB, que representa os interesses do imperialismo e do Golpe de Estado no Brasil, é muito mais fascista do que Bolsonaro, basta que se observe as ações brutais promovidas pelos tucanos durante os seus governos.

As declarações de João Dória deixam bem explícito qual o plano de governo dos fascistas tucanos: armar a polícia e permitir o assassinato indiscriminado do povo. Não podemos nos confundir: o verdadeira fascismo é tucano.