Correios
Os militares próximos a Jair Bolsonaro e que ocupam cargos civis no governo consideram uma das prioridades a privatização dos Correios.
caminhao-do-servico-de-entregas-sedex-em-predio-dos-correios-na-vila-leopoldina-em-sao-paulo-sp-1600971366536_v2_1920x1080
Correios na mira do capital monopolista internacional. | Reprodução.
caminhao-do-servico-de-entregas-sedex-em-predio-dos-correios-na-vila-leopoldina-em-sao-paulo-sp-1600971366536_v2_1920x1080
Correios na mira do capital monopolista internacional. | Reprodução.

O Ministério da Economia, comandado pelo Chicago Boy Paulo Guedes, colocou a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) no topo da lista de prioridades para privatização. Os militares próximos a Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido) e que ocupam milhares de cargos civis no governo apoiam a privatização da empresa estatal, pois consideram acertada a decisão pela venda.

Os militares consideram que não há uma alternativa concreta à privatização. Com a venda da ECT, Bolsonaro procura sustentar seu discurso pró-livre mercado para as eleições de 2022. O apoio dos militares evidencia que as Forças Armadas estão diretamente envolvidas na entrega das riquezas e do patrimônio nacional para o capital monopolista internacional.

Relacionadas
Send this to a friend