Correios
Os militares próximos a Jair Bolsonaro e que ocupam cargos civis no governo consideram uma das prioridades a privatização dos Correios.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
caminhao-do-servico-de-entregas-sedex-em-predio-dos-correios-na-vila-leopoldina-em-sao-paulo-sp-1600971366536_v2_1920x1080
Correios na mira do capital monopolista internacional. | Reprodução.

O Ministério da Economia, comandado pelo Chicago Boy Paulo Guedes, colocou a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) no topo da lista de prioridades para privatização. Os militares próximos a Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido) e que ocupam milhares de cargos civis no governo apoiam a privatização da empresa estatal, pois consideram acertada a decisão pela venda.

Os militares consideram que não há uma alternativa concreta à privatização. Com a venda da ECT, Bolsonaro procura sustentar seu discurso pró-livre mercado para as eleições de 2022. O apoio dos militares evidencia que as Forças Armadas estão diretamente envolvidas na entrega das riquezas e do patrimônio nacional para o capital monopolista internacional.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas