Menu da Rede

OEA contra a Venezuela

Militantes convocam ato contra a visita de Almagro ao Reino Unido

Secretário-geral da OEA é um fantoche do imperialismo para derrubar governos nacionalistas e apoiar ditaduras na América Latina

Tempo de Leitura: < 1

Luis Almagro estará na semana que vem no Reino Unido. Foto: Juan Manuel Herrera/OEA –

Publicidade
Londres, 29 de outubro (Prensa Latina) As organizações políticas e sociais britânicas se organizam hoje para protestar contra a visita do secretário-geral da OEA, Luis Almagro, na próxima semana ao Reino Unido, para falar sobre a situação na Venezuela.
Almagro diz que está preocupado com a escassez de alimentos e medicamentos (na Venezuela). No entanto, são precisamente as sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos, que a Almagro apóia, que levaram a essa situação, disse a convocação assinada pelo Grupo Revolucionário Comunista e pelo movimento Rock Around the Blockade.

Ele também salienta que a Organização dos Estados Americanos (OEA) sempre está surda as violações de direitos humanos perpetradas por governos de direita nos Estados Unidos e na América Latina, enquanto apóia ataques contra aqueles que enfrentam Washington ou tentam construir o socialismo

Nesse sentido, o texto divulgado nas redes sociais denuncia o apoio do atual secretário-geral da OEA ao regime imposto em Honduras após o golpe de estado de 2009 e seu atual silêncio sobre a morte de dezenas de manifestantes antigovernamentais no Chile, Equador e Haiti

Almagro planeja falar sobre a Venezuela na Câmara dos Comuns no próximo dia 5 de novembro, em resposta a um convite do Grupo Parlamentar Multipartidário para a América Latina (APPG), liderado pelo legislador conservador Mark Menzies.

O deputado trabalhista Chris Williamson também rejeitou a presença do Secretário-Geral da OEA no Palácio de Westminster e alertou que este grupo parlamentar será desacreditado com o convite.

É uma piada de mau gosto que o APPG convide Luis Almagro para falar sobre direitos humanos na Venezuela, disse o legislador dias atrás em sua conta no Twitter.

Na opinião de Williamson, o chefe da OEA é um ‘cara que apóia a intervenção militar para derrubar um governo eleito democraticamente’ naquele país sul-americano.

Mais Lidas
[wpp range="last24h" limit="3"]
NA COTT

A Frente Popular na França, por Rui Costa Pimenta - Universidade Marxista nº 409

101 Visualizações 113 minutos Atrás

Watch Now

Send this to a friend