Greve dos Correios
Nesta quarta-feira, dia 26 de agosto, o trabalhador dos Correios e militante do Partido da Causa Operária, Orlando Andrade, participou ao vivo do programa Brasil Cotidiano
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Orlando (1)
Brasil Cotidiano: Greve dos Correios. Folha compara Dilma a Bolsonaro. | Foto: Reprodução Cotidiano

Nesta quarta-feira, dia 26 de agosto, o trabalhador dos Correios e militante do Partido da Causa Operária, Orlando Andrade, participou ao vivo do programa Brasil Cotidiano do canal Cotidiano na plataforma do Youtube. O sítio Cotidiano é um portal de notícias, política, cultura e temas diversos, a entrevista foi veiculada no canal do Youtube e teve como um dos focos a greve dos Correios que está em andamento no momento.

A greve está forte, a categoria está compreendendo a necessidade da greve, mesmo com as direções sindicais tentando manobrar contra a mobilizações, tentando levar toda a luta para o terreno jurídico. As direções dos sindicatos dos trabalhadores dos Correios alimentaram na categoria uma ilusão no Supremo Tribunal Federal (STF), após a derrota, com o STF sendo favorável à direção da empresa, esses sindicalistas voltam a alimentar ilusões no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Temos que lembrar que o judiciário assim como o legislativo são verdadeiros coveiros das lutas populares, a categoria vem sofrendo em todos os embates no judiciário, no ano passado o TST rebaixou o salário da categoria, retirou conquistas históricas no plano de saúde.

Há alguns anos a categoria vem sofrendo ataques, perdendo todos os anos direitos e benefícios, a grande diferença é que esse ano o ataque da direção da empresa teve uma escalada e estão tentando tirar todos os direitos e benefícios da categoria de uma vez. Numa investida da direção da empresa, foi cancelado o acordo bianual em vigor e a categoria já está há um mês sem acordo coletivo. A realidade é que das 79 cláusulas do acordo anterior a direção da empresa só queria manter 9.

Essa escalada na virulência da direção da empresa é um aprofundamento da política de privatização dos Correios e serve como uma preparação do terreno para a entrega da empresa pública nas mãos dos capitalistas.

A única saída é a mobilização, o aumento da greve, parar toda a produção, sendo necessário inclusive ocupar os locais de trabalho para barrar a privatização.

Segue o link do programa, a entrevista iniciou se aos 17:29 e termina aos 56:35:

 

https://www.youtube.com/watch?v=VVGyXMQUNu4

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas