Crise apenas para os demitidos
A política geral das empresas é que os trabalhadores paguem pela crise, seja com seus empregos seja com seu parco dinheiro
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
silviobozo
Silvio Santos e seu aliado, o fascista Bolsonaro | Foto: Reprodução

O SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), de Sílvio Santos, demitiu 76 funcionários até a última terça-feira, 3/11. O setor mais afetado foi o administrativo e a fábrica de cenários, além desses mais 500 devem perder os seus empregos até o fim de 2020.

Os cortes envolvem âncoras, jornalistas e profissionais da área de produção, jornalista famosos como Roberto Cabrini e Rachel Sheherazade, esta última fez parte da campanha do golpe de estado de 2016 que derrubou a presidenta Dilma Roussef, ou seja, não há dó nem piedade, qualquer um via pro olho da rua. Esses cortes tem haver com a diminuição do número de programas e da audiência, provocada pela pandemia de Corona Vírus, mas o motivo principal é a ganância do “Senhor Sorriso”.

Aproveitando a onda do Corona Vírus Sílvio aproveitou para enxugar a máquina e seguir ganhando muito dinheiro. E a razão para o aumento na sua riqueza, alem das demissões em massa,  é muito simples, o seu apoio ao governo fascista de Jair Bolsonaro.

O aumento das verbas publicitárias pagas pelo governo ao SBT mais que dobrou desde que Bolsonaro tomou posse. Conforme relatório divulgado pelo próprio TCU, órgão golpista, outra peça no motor do golpe, a verba com publicidade recebida pelo SBT mais que dobrou desde que o desgoverno Bolsonaro tomou posse em 01/01/2019.

O relatório do TCU destaca que 1 dos maiores responsáveis para o maior desembolso com a emissora de Silvio Santos foi a publicidade em prol da reforma da Previdência. “É possível afirmar que, de fato, houve 1 aumento na participação das emissoras Record e SBT e 1m encolhimento da Globo, tanto no ano de 2018 quanto no de 2019. A diferenciação é acentuada entre os anos de 2018 e 2019, em que a Globo reduziu a participação em 22,74% (16,38% – 39,12%), a Record aumentou 11,42% (42,61% – 31,19%) e o SBT aumentou 11,32% (41,01% – 29,69%). E tal inversão está relacionada com a ação publicitária Nova Previdência“, aponta o relatório.

Apesar da participação menor na audiência geral nas 15 principais capitais do país, o SBT tem recebido muito mais dinheiro do governo. O dinheiro recebido foi o pagamento pela divulgação da campanha pela aprovação da reforma da previdência, a reforma que rapinou a aposentadoria dos atuais e futuros trabalhadores brasileiros.

Temos então que na realidade o SBT não passa por nenhuma crise, e o motivo das demissões é aumentar o lucro do patrão. Além de tudo isso, não podemos esquecer que o simples fato de deter o poder de uma concessão pública de Tele Comunicações, por si só, gera um enorme afluxo de capitais para dentro dos cofres do SBT.

A política geral das empresas é que os trabalhadores paguem pela crise, seja com seus empregos seja com seu parco dinheiro. É necessário cancelar a concessão publica desse enorme privilégio de Silva Santos, como demais monopólios, e destruir entre as organizações populares, operárias e estudantis.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas