MG: contra ameaças de fechamento, operários devem ocupar fábrica da Mercedes!

mercedes

Da redação – Mais uma ameaça contra os trabalhadores resultante da crise gerada pelos golpistas, dessa vez em Minas Gerais, pode resultar na demissão de cerca de 900 trabalhadores diretos e consequências negativas para a economia regional. A Mercedes-Benz Brasil anunciou a possibilidade de fechar a fábrica de caminhões em Juiz de Fora por um suposto prejuízo que estaria sofrendo.

Os metalúrgicos fizeram uma paralisação da produção na segunda-feira (15) e dirigiram-se para a Câmara Municipal para participar de uma audiência pública sobre a situação da unidade, convocada pelos vereadores após informações sobre o fechamento da fábrica.

O presidente da Federação Estadual dos Metalúrgicos de Minas Gerais, Marco Antônio de Jesus, cobrou a dívida que a montadora tem com a sociedade após o incentivo milionário que recebeu do governo Itamar Franco em 1999.

Os rumores sobre fechamentos de fábrica servem, finalmente, para pressionar o poder público por mais investimento para os bolsos dos patrões, ou seja, para que as cobranças de impostos, já reduzidos, diminuam ainda mais e os lucros dos capitalistas aumentem exorbitantemente, colocando nas costas do trabalhador o peso da crise econômica. Assim também podem exigir a “flexibilização” dos direitos trabalhistas, jogando com o temor dos trabalhadores de perderem seu sustento em meio a um cenário de taxa altíssima de desemprego.

Diante de tal situação é necessário que os trabalhadores da Mercedes mobilizem-se e ocupem a fábrica, tomando a direção e garantindo eles mesmos a continuidade da produção e de seus empregos. Organizarem-se os oprários também a nível nacional para uma greve geral contra a o governo Bolsonaro, única forma de garantir o fim da destruição dos direitos dos trabalhadores.