Metalúrgicos do ABC: “Fora Bolsonaro” ecoa na principal organização operária do país

hhh1

Na noite de segunda-feira (10), o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, palco de diversas lutas da classe trabalhadora do Brasil, promoveu um Ato internacional de solidariedade e pela Liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso político nas “masmorras” de Curitiba, capital do Paraná, quase 250 dias.

O ato realizado com mais de mil pessoas no auditório do sindicato, contou com a presença de representantes dos partidos do PT, PCO, PCdoB e PSOL, além de diversas organizações dos movimentos sociais do país e de fora do Brasil, como os trabalhadores metalúrgicos da Alemanha.

Todos os representantes partidários e dos movimentos sociais presentes, em suas intervenções ressaltaram a arbitrariedade da prisão de Lula e defenderam a liberdade de Lula, através da palavra de ordem de Lula livre, mas o ponto mais marcante do ato se deu na intervenção do dirigente do PCO (Partido da Causa Operária), Antônio Carlos que mencionou que todos deveriam seguir o que o próprio Lula escreveu em sua carta após a eleição fraudada de 2018.

Antônio Carlos levantou os presentes no auditório do sindicato ao mencionar que Lula quer que o movimento social, popular e operário retorne às ruas para enfrentar o governo ilegítimo de Jair Bolsonaro. E por esse motivo o PCO convoca a todos a se mobilizar nas ruas para lutar através da palavra de ordem de Fora Bolsonaro e todos os golpistas, e não ficar esperando por novas eleições,  seguindo o exemplo dos franceses, que estão aos milhares nas ruas de Paris pela derrubada do governo direitista de Emmanuel Macron, representante dos grandes banqueiros internacionais.

Foi nesse momento que o auditório do sindicato ecoou um único som, o de Fora Bolsonaro, mostrando a sintonia dos que querem lutar com a vontade de enfrentamento nas ruas contra a direita e todos os golpistas do país.

A realização do Ato no sindicato dos metalúrgicos de SBC tem uma simbologia muito especial com a atual situação política do país, pois foi o sindicato dos metalúrgicos que Lula ajudou a se transformar, na história recente do Brasil, no principal sindicato da classe trabalhadora do país, devido a sua presença de vanguarda na derrubada do regime político militar e ditatorial dos anos 60 a 80, decorrente das grandes greves do final dos anos 70 promovidas pelos trabalhadores metalúrgicos do ABC Paulista.

Também aconteceu no sindicato dos metalúrgicos do ABC um dos capítulos mais importantes de luta e resistência ao golpe de estado no Brasil de 2016, que se deu com o impeachment de Dilma Rousseff do PT , e que se estendeu com a prisão de Lula no próprio sindicato, depois do sindicato ficar cercado por três dias por uma multidão de ativistas da luta contra o golpe e contra a prisão de Lula.

Lula só foi preso depois de que ele próprio se rendeu aos golpistas, convencido por uma parte da direção de seu partido de que sua prisão não passaria de uma semana.

É preciso aumentar o coro pelo Fora Bolsonaro, assim como já estão fazendo os metalúrgicos do ABC. É preciso colocar abaixo esse governo golpista e fascista, inimigo dos trabalhadores, e libertar Lula, que deveria ser o presidente do Brasil.