Eleições americanas
Os investidores e o capital financeiro já demonstram entusiasmo com a possível vitória eleitoral de Joe Biden contra Donald Trump
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bolsa-economia-dinheiro-negocio-centro-financeiro-bandeira-wall-street-operacao-alta-juro-baixa-investimento-estados-unidos-eua-nova-york-dolar-crise-1392926854970_1024x768
Wall Street e os mercados demonstram entusiasmo com uma possível vitória de Biden | Foto: Reprodução

Os mercados demonstram entusiasmo com uma possível vitória de Joe Biden, do Partido Democrata, contra Donald Trump.  O fato é que os grandes capitalistas estão organizando o processo eleitoral americano para que o candidato democrata vença, embora não seja possível afirmar com certeza de que esse será o resultado.

Nas eleições de 2016, a candidata do imperialismo era Hilary Cliton, também do Partido Democrata. A vitória de Donald Trump representou uma surpresa, pois este último não era a candidatura favorita do imperialismo tomado em conjunto. Os bancos e instituições financeiras apostavam suas fichas em Hilary Clinton, que era propagandeada como primeira mulher que poderia ocupar o cargo de presidente da República nos Estados Unidos, isto é, Clinton tornava-se um símbolo ideia da burguesa de representatividade para as mulheres.

Os democratas não se diferenciam substancialmente em nada se comparados com Trump. O que lhes diferencia é uma demagogia em relação à questão das mulheres, negros e LGBTS. Não passa de demagogia, uma vez que foi no governo Barack Obama que os Estados Unidos bateram recordes de deportação de imigrantes sem documentação e deu-se início à construção dos campos de concentração para imigrantes, algo que chocou o mundo.  A política de encarceramento massivo da pobreza continuou a pleno vapor durante os dois mandatos de Obama.

A política de golpes de Estado na América Latina teve início na era Obama. É muito provável que o governo Joe Biden seja ainda mais agressivo e intervencionista do que o governo Trump. Recentemente, Biden criticou Trump por não ser suficientemente duro e agressivo em relação à Venezuela. O próprio Biden foi um entusiasta da guerra do Iraque. Ele é um representante dos chamados falcões, os políticos da guerra norte-americanos.

O setor mais poderoso do imperialismo, o capital financeiro, já se prepara para uma vitória de Joe Biden. Em uma pesquisa de intenção de voto conduzida por Wall Street, 60% dos investidores consideram que a vitória do democrata é certa.

Em alguns pontos, o governo Donald Trump entra em contradição com os setores fundamentais da burguesia imperialista norte-americana. No caso da imposição de tarifas protecionistas à China e outros países e na propaganda de que os empregos devem voltar para os Estados Unidos, contrariando as teses do livre mercado e da globalização tão difundida por décadas. Apesar da retórica agressiva, Trump não deu início a nenhum conflito militar com uso de tropas americanas. Mesmo no caso da Coreia do Norte, apesar das ameaças, Trump manobrou e chegou a um acordo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas